Sindicato faz sugestões no Conselho Municipal de Segurança

0
138

O Sindicato dos Servidores participou na tarde de ontem, 10 de setembro, de uma reunião do COMSEP – Conselho Municipal de Segurança Pública de Ribeirão Preto – que aconteceu no 3º Batalhão da Polícia Militar. O Coordenador da Guarda Civil Municipal, Valdir Avelino, esteve na reunião representando o SSM. Também participaram do encontro outros GCMs; representantes da comunidade; Polícia Civil; Militar e Federal. A finalidade do encontro é propor diretrizes para as políticas públicas voltadas à promoção da segurança pública, prevenção e repressão à violência e à criminalidade, e atuar na articulação e controle democrático.

Valdir Avelino defendeu a garantia da participação nas reuniões do COMSEP de todas as categorias que contribuem para a segurança pública da comunidade, sobretudo a GCM. Também chamou a atenção para o Major Ziul e o Capitão Carvalho sobre os recentes casos de insegurança nas escolas municipais de Ribeirão Preto. “Nosso objetivo é apontar caminhos, soluções, discutir e avaliar propostas. Para que isso ocorra harmonicamente, é preciso garantir espaço no conselho para todas as áreas que podem contribuir. Na reunião de hoje, por exemplo, coloquei em discussão o problema da insegurança nas escolas e nos postos de saúde de Ribeirão e o Major já se prontificou para, nas próximas reuniões do conselho, chamar todo esse grupo envolvido para participar também. Iremos trocar experiências para pôr em prática ações que auxiliem na segurança da cidade”, afirmou Avelino.

O Capitão Carvalho reforçou a importância do envolvimento de todos. “A Polícia e os demais órgãos devem estar entrelaçados. O problema de segurança não é só das Polícias, é de todos. A própria constituição fala que a segurança é um dever da Polícia, mas é um direito e dever de todos. Para que haja segurança, é necessário que exista o entrelaçamento de informações e soluções. Às vezes um problema que enxergamos como sendo de segurança, na verdade, não é, e a prefeitura pode resolver, a OAB, o poder judiciário, ou seja, estamos aqui para pensarmos em resolver o problema juntos e não apenas a Polícia”, finalizou o Capitão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui