Servidor morre no trabalho e corpo é encontrado 8 dias depois: Morte evidencia abandono no Horto Municipal

0
163

A morte do servidor municipal, José Muquiuti, de 67 anos, evidencia o que o Sindicato dos Servidores tem denunciado há anos: o abandono dos trabalhadores do Horto Florestal de Ribeirão Preto. O corpo do servidor foi encontrado na tarde de sexta-feira, dia 25 de abril, em um córrego no interior do Horto. José estava desaparecido desde a tarde do dia 17 de abril, véspera do feriado prolongado. De acordo com os peritos que estiveram no local, um exame necroscópico será feito para determinar as causas da morte, para eles, as condições em que o corpo foi encontrado leva a crer que o trabalhador morreu no mesmo dia em que desapareceu. Se a suspeita dos peritos confirmar, o corpo do trabalhador ficou por 8 dias dentro do horto municipal sem ser percebido.

“O fato de o trabalhador ter morrido no Horto até poderia ser encarado com naturalidade, pois todos estão sujeitos a passar mal. Agora, o que é inaceitável, é um servidor morrer em seu local de trabalho e o corpo ficar desaparecido por vários dias. Podem dizer que foi antes do feriado, sim, mas tivemos praticamente quatro dias sem ninguém avistar o corpo. Será que a chefia se preocupou em fazer uma busca no interior do Horto? É claro que se o local de trabalho fosse decente, com a quantidade necessária de servidores trabalhando, com projetos educacionais para os alunos das escolas municipais, com pessoas frequentando aquele espaço maravilhoso, o corpo do nosso servidor teria sido encontrado no mesmo dia do fato, ou no dia em que os funcionários voltaram ao trabalho. Estamos alertando o governo sobre o abandono do horto, a falta de segurança dos servidores e a falta de condições de trabalho há anos, mas nenhuma providência foi tomada até agora. Será que com o registro de uma morte essa administração inerte sairá do lugar?”, pergunta o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

Cobrança do Sindicato

Nas últimas duas semanas, o Sindicato dos Servidores tem intensificado suas cobranças por mais investimentos no Horto Florestal. Foram duas reuniões em sete dias, e a promessa do secretário do Meio Ambiente, Daniel Gobbi, de fazer investimentos no local.

“Foi firmado o compromisso de se investir mais no Horto, com a construção de vestiários, com o início da obras em 30 dias, limpeza do lago e fortalecimento da segurança no espaço. Vamos ficar de cima para que as melhorias sejam feitas. O governo tem que pensar também na contratação de novos funcionários e na revitalização do horto, para que o local volte a ser o que foi no passado: um local lindo, decente, e muito frequentado”, fala o vice-presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui