Vitória do Sindicato: Após manifestação, superintendente do IPM deixará o cargo

0
103

Após uma manifestação de protesto realizada pelo o Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto nesta sexta-feira, dia 28 de junho, na porta da sede do IPM – Instituto de Previdência do Município, o superintendente do Instituto, Luis Carlos Teixeira deixará o cargo. Essa era uma das três reivindicações feitas pelo Sindicato. As outras duas também serão atendidas: efetivação do acordo feito durante a data-base da categoria, em março, e que vinha sendo desrespeitada por Teixeira; e o pagamento de uma dívida de R$ 7 milhões do Instituto com os trabalhadores.

Manifestação – A manifestação, em forma de protesto, começou pela madrugada e se estendeu por toda a tarde desta sexta-feira, em frente à sede do IPM, na rua Visconde de Inhaúma, 258, Centro. Os trabalhadores fecharam as portas do órgão e afirmaram que só iriam parar o movimento quando Teixeira e os diretores ocupantes de cargos comissionados fossem demitidos dos respectivos cargos. Ninguém entrou para trabalhar e com isso, as atividades foram suspensas.
Teixeira foi ao local e bateu boca com os aposentados, acionando a polícia para uma idosa. O secretário da Administração, Marco Antônio, que foi ao local para conversar com os representantes do Sindicato e aposentados, considerou a atitude de Teixeira desnecessária.

Reivindicações – Além da demissão de Teixeira, o Sindicato cobra R$ 7 milhões devidos pelo IPM aos trabalhadores. “Foi feito um desconto indevido da folha de pagamento. Foram cerca de R$ 21 milhões, sendo R$ 14 milhões pagos pela Prefeitura, que no caso é o patrão, e R$ 7 milhões pagos pelos trabalhadores. Só que o IPM devolveu apenas o montante da prefeitura”, explica Wagner Rodrigues, presidente do Sindicato. O terceiro item diz respeito ao pagamento de um acordo firmando com a prefeitura, durante a data-base, referente a um processo conhecido como 5.15% (divida trabalhista remanescente do gatilho salarial no Plano Collor, não paga na gestão do ex-prefeito Welson Gasparini – a ação é estimada em R$ 320 milhões e que pelo acordo será pago em 10 anos). Todas as secretarias e autarquias estavam cumprindo o acordo, menos o IPM.

Reuniões – Com a manifestação, o Governo Municipal procurou o Sindicato para uma reunião. Foram duas reuniões realizadas na tarde entre Sindicato e Governo. No final do segundo encontro ficou definido que Teixeira será demitido na próxima semana. Com relação a divida de R$ 7 milhões e sobre os 5.15%, o Governo se comprometeu a começar a pagar no dia 5 de julho.

Vitória – “Um país progressista é aquele que respeita os trabalhadores que construíram essa nação. Estávamos certos. Aposentados merecem respeito, quando o Superintende chamou a policia para bater em aposentado de 70 anos era tudo ou nada. Vencemos. Parabéns aos trabalhadores por mais essa conquista”, diz Wagner Rodrigues, presidente do Sindicato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui