Vale-alimentação deixará de ser aceito nos maiores supermercados de Ribeirão

0
132

Os Servidores Municipais de Ribeirão Preto usam o cartão vale-alimentação administrado pela empresa Verocheque. Recentemente a administradora teria decidido cancelar o convênio com diversos supermercados da cidade sem esclarecer os motivos dessa redução nas redes credenciadas. O supermercado Grick confirmou que seu estabelecimento já foi notificado pela empresa e que o cartão deixará de ser aceito a partir de 15 de julho. Servidores também garantem que já foram avisados nos supermercados Wall Mart, Savegnago, Carrefour e Dia que em breve o cartão também não será mais aceito. Procurada para explicar os motivos desse desligamento, a empresa não confirmou se os demais supermercados também deixarão de aceitar, ou, se a medida é apenas para o Grick. A Verocheque preferiu não comentar o assunto. Segundo a rede Grick, o descredenciamento ocorreu por parte da administradora de cartões Verocheque. Todos os meses, os créditos depositados são gastos pelo trabalhador em vários pontos conveniados da cidade; acontece que a limitação desses locais onde o cartão é aceito deve acontecer nos principais supermercados de Ribeirão Preto, justamente onde o servidor está acostumado a fazer suas compras do mês. 

O Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto resolveu, então, visitar alguns desses supermercados para descobrir o que a Verocheque disse sobre esse cancelamento. No bairro Monte Alegre, o gerente Renato Freitas, da rede Grick, diz que não sabe os motivos que levaram a empresa a cancelar o convênio do cartão vale-alimentação com vários supermercados da cidade. Freitas trabalha como gerente na loja há dois anos e garante que nunca houve problemas com a empresa. Ele já orientou todos os funcionários dos caixas a explicarem aos clientes que o cartão será aceito somente até o dia 15 de julho. Vários cartazes também foram espalhados em todos os setores do supermercado. “Simplesmente fomos avisados que trabalharemos com esse cartão até o dia 15 do próximo mês. Não sei explicar direito, mas parece que havia problemas constantes de queda no sistema e uma taxa que antes não existia e que agora passou a ser cobrada pela Verocheque”, contou Freitas. A mesma falta de explicação é dividida com os clientes no trecho de um cartaz fixado logo na entrada do estabelecimento: “a empresa [Verocheque] rescindiu o contrato com nossa empresa sem mais explicações”.

Já em outro supermercado da mesma rede, no bairro Campos Elíseos, a servidora Valtercina Lúcia Rosa, que trabalha no departamento Pessoal do DAERP – Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto – ficou surpresa no momento das compras quando soube que seu cartão seria aceito até o próximo dia 15 de julho. “Fui pega de surpresa! Lá no Daerp acho que ninguém está sabendo disso ainda. Agora eu não sei como vou fazer as compras do mês” disse a servidora, inconformada com a notícia. Ela também acrescentou que espera uma troca da empresa Verocheque. “Espero que façam uma nova licitação para resolver isso de uma vez e mudar essa empresa”, completou. Embora Valtercina ainda não soubesse da mudança, o subgerente Sérgio Alexandre Rocha do supermercado onde ela costuma fazer as compras, garante que todos estão sendo previamente avisados pelos funcionários, além disso, ele também colocou informativos em vários pontos do local. “Procuramos avisar o máximo de clientes possível, mas acredito que mesmo depois do dia 15 de julho ainda haverá alguns querendo usar o cartão”, disse. Sobre os motivos ele também desconhece. “Eu ouvi falar sobre essa história em janeiro deste ano; agora eles fixaram uma data que é o dia 15 de julho, mas o motivo mesmo eu não sei te dizer. Mandaram parar do nada”, informou o subgerente.

Outro problema mencionado pelos servidores municipais são as constantes queixas de clonagem de cartões. Quando os servidores que tiveram seus cartões clonados entram em contato com a Verocheque, a própria atendente gera uma nova senha e a repassa, imediatamente, por telefone, ao cliente, procedimento esse considerado, no mínimo, estranho pelos servidores, pois a senha costuma ser sigilosa, diferindo do que é comumente feito pelas demais administradoras de cartões do país.

O Sindicato já alertou o Governo municipal, por meio de ofício, no qual solicita a imediata tomada de providências e, caso seja necessário, proceda à ruptura do contrato com a Verocheque e contrate, por licitação, uma nova empresa para administrar os cartões dos servidores municipais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui