Sindicato vai oficiar Câmara contra extinção do cargo de cozinheiro

0
506

Atacando mais uma vez os trabalhadores, o Governo de Ribeirão Preto encaminhou à Câmara Municipal na última semana o Projeto de Lei 40/2020 que visa a extinção do cargo de cozinheiro da rede. O Sindicato dos Servidores Municipais já se manifestou totalmente contrário ao PL e protocola amanhã (18) com o presidente da Casa de Leis, Lincoln Fernandes, e com os demais vereadores, um ofício ressaltando a posição da entidade que defende os trabalhadores contra o projeto.

O ofício enfatiza a importância dos cozinheiros no dia a dia dos equipamentos públicos municipais, evidencia a má-fé da administração em causar pânico nos trabalhadores num momento que já é caótico por si só e reitera que a terceirização do serviço público não é a solução para problemas causados por má gestão.

O documento será entregue em mãos ao presidente da Câmara, durante agenda oficial, e também aos demais vereadores antes do Projeto de Lei ir a plenário para votação.
“O projeto é inconcebível e trará somente prejuízos! Os cozinheiros exercem papel de vital importância dentro dos quadros da prefeitura, e a administração deveria preocupar-se em suprir o déficit desses profissionais na rede e não acabar com toda uma categoria”, explicou o presidente da entidade, Laerte Carlos Augusto.

De acordo com números da própria administração, dos 500 cargos de cozinheiro existentes, somente 397 estão ocupados. Os demais, apesar de já ter havido concurso e pessoas habilitadas para ocupá-los, seguem em vacância.

“Os servidores têm sofrido muito nos últimos anos com a falta de investimentos e a desvalorização do trabalho. Esse governo passará e o trabalho do funcionalismo é o que fica para a cidade, exemplo disso é este momento de pandemia que deixou claro que quem cuida e se preocupa com a população é o servidor público”, finalizou Laerte.

A entrega do ofício aos vereadores acontece nesta terça-feira (18), às 17h. Todas as informações sobre a conversa com a Casa de Leis você acompanha nas nossas redes sociais.

Assista posicionamento do Sindicato à respeito do caso clicando aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui