Sindicato recebe membros eleitos do Conselho Deliberativo do Sassom

0
99

A reunião com os membros eleitos do Conselho Deliberativo do Sassom – Serviço de Assistência e Seguro Social dos Municipiários de Ribeirão Preto – aconteceu na manhã desta sexta-feira, 15, na sede do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão. O objetivo foi discutir a situação atual do Sassom e ainda desejar uma boa atuação aos novos membros do conselho.

Uma das preocupações levantadas pelos conselheiros durante a reunião é com a perda significativa de conveniados, segundo eles, isso vem ocorrendo acentuadamente gerando impacto financeiro imediato. Além da preocupação com os desligamentos do convênio o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues, conversou também sobre outros desafios que envolvem o Conselho do Sassom.

Para o presidente, manter a “saúde” do Sassom é imprescindível e, para que isto ocorra, é preciso ter unidade. “O Sassom sempre é um assunto recorrente nas reuniões internas do Sindicato devido sua importância aos servidores. A atual situação pede união de todos para que o serviço continue amparando seus usuários com a qualidade que nós conhecemos. Hoje conversamos com os membros do conselho sobre alguns pontos críticos que precisam ser atravessados o quanto antes, mas o que nos deixa tranquilo é saber que os conselheiros não medem esforços para o aprimoramento constante do Sassom. Esta também é uma luta do Sindicato”, disse o presidente ao final da reunião.

 Os vice-presidentes Laerte Carlos Augusto e Profº Donizeti Aparecido Barbosa, também participaram das discussões e aproveitaram para dar as boas-vindas aos recentes conselheiros eleitos.

Acompanhe abaixo quem são e as opiniões de alguns membros do Conselho Deliberativo do Sassom sobre o contexto atual do serviço.

Nilton Cesar Ferreira da Silva – Diretor de Escola e Conselheiro do Sassom – Servidor Público Municipal há mais de 30 anos

Quais as principais dificuldades que o Sassom enfrenta hoje?

Hoje o Sassom enfrenta o problema da baixa remuneração dos profissionais que prestam serviço, mas isso não é só um problema do Sassom, isso é genérico e precisa ser resolvido pra evitar a evasão dos profissionais, além disso, nós precisamos de atendimento hospitalar cada vez mais qualificado, coisa que nós temos debatido bastante nas reuniões do conselho.

Qual a importância do Conselho?

 É fundamental, ali existe uma grande representatividade de todos os setores do funcionalismo, esses assuntos vêm à tona, muitos têm acolhimento, nós já acertamos muitas coisas nessas reuniões do conselho. Agora, com a reformulação da lei 441 nós acreditamos que vamos chegar a um final muito mais feliz.

 

O que os conveniados podem esperar para o futuro do Sassom?

Eu acho que podem esperar melhorias, o pessoal que está compondo o conselho, a superintendência, estão muito empenhados nisso. Eles discutem, debatem, representam bem o funcionalismo e acho que a tendência sempre é a gente conquistar melhorias, como vem acontecendo.

José Luis Barbosa Tango – Dentista e Conselheiro do Sassom – Servidor Público Municipal desde 1986

 Qual o principal desafio do conselho?

Eu acho que é criar a lei para que os servidores não saiam do convênio. Eu uso o Sassom e aconselho às pessoas a usarem também, mas muita gente está deixando o Sassom e isso enfraquece a parte financeira. Se isso não mudar, coisas piores podem acontecer. O Sassom é uma entidade que hoje é vista como exemplo, eu acho importantíssimo que todos se preocupem com a saúde financeira do Sassom.

Por que está acontecendo esse desligamento?

Eu acho que é pelo preço que certas profissões pagam ao Sassom. Por que ele cobra a porcentagem por igual, seja qual for o salário, os servidores que ganham mais, pagam mais e aqueles que ganham menos, pagam menos, então aqueles que pagam mais acabam achando outros preços fora do Sassom, outros atrativos e eles saem.

Eu acho que o correto seria sanar isso e trazer aqueles que se foram de volta, são os grandes salários que mantém o Sassom. Nós não podemos perder isso. Esse plano de saúde é maravilhoso. Depende da gente, junto com o sindicato, conselheiros e, principalmente do servidor, sem ele o Sassom não existe. Precisamos melhorar com a ajuda do servidor, ele é imprescindível nessa solução.

Como acompanhar o que é discutido em reuniões do conselho?

Como exemplo nós temos aqui no sindicato o Marcelino que sempre traz os resultados do que é discutido no conselho. Eu acho que o servidor tem que se preocupar também, não é só criticar, porque eu acho importante também ele dar ideias pra melhorar, porque se você só critica você não está trazendo solução. O interesse de todos é tentar melhorar.

O que esperar para o futuro?

Eu acho que muito trabalho e que continue esse plano de atendimento aos servidores e suas famílias, eu acho isso importantíssimo. Nós temos hoje uma economia que oscila demais e nós temos que ter baluartes para que os atendimentos aconteçam dentro da normalidade. Eu acho que depende muito do servidor, se ele não ajudar a diretoria, fica difícil, eu acho que cabe a ele uma parcela da responsabilidade.

  

Paulo César Brasileiro – 26 anos como Servidor Público Municipal, trabalha como motorista na Secretaria de Infraestrutura e é membro do Conselho Deliberativo do Sassom

A situação do Sassom hoje está se complicando na parte financeira, os custos de materiais e medicamentos estão aumentando e nós não estamos conseguindo acompanhar, mas ainda assim o Sassom  é viável, e muito bom, é um dos melhores planos de saúde que eu conheço, se não for o melhor. Então, existe uma necessidade de nós, servidores, nos empenharmos e fortalecermos o Sassom.

Você foi eleito recentemente para o conselho, o que pretende fazer para mudar isso?

Inicialmente um problema muito grave que está tendo no Sassom é no atendimento a pediatria, ta faltando pediatras, falta pronto atendimento de pediatria, está muito complicado também a demora no atendimento, nós vamos trabalhar nesse momento para tentar melhorar isso, porque está dificultando bastante para os filhos de servidores.

Gaspar Marcelino – Diretor do Departamento de Segurança e Medicina do Trabalho do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto e representante no Conselho Deliberativo do Sassom

Qual sua maior preocupação em relação ao Sassom?

A maior preocupação são as grandes saídas dos servidores do Sassom, porque estas pessoas que estão saindo são as que têm os salários mais altos, então elas estão procurando a Justiça para sair do Sassom.

O que fazer?

Isso pode ser revisto, nós já aprovamos uma resolução para colocar empecilhos para os que queiram voltar porque essas pessoas têm que entender que tudo o que se gasta com o Sassom pode ser abatido no imposto de renda. Muitas vezes o Sassom sai até de graça pra essas pessoas que tem um salário maior.

O que esperar para o futuro?

Tem que mexer na lei 441 para colocar empecilhos. Se não mexer não tem como. Quando uma pessoa que tem um salário maior sai do Sassom, precisamos contratar, pelo menos, seis novos contribuintes que ganham um salário menor.

Luis Carlos Bariani – Funcionário público há 35 anos e membro do Conselho Deliberativo do Sassom

Faltam profissionais no Sassom?

A maior preocupação, hoje, são com os profissionais que estão se afastando, nós estamos trabalhando para que isso não aconteça. Hoje, aqui no Sindicato, discutimos sobre isso, estamos buscando encontrar uma forma para que não aconteça mais isso. Precisamos nos unir para achar um denominador comum para que nenhuma das partes sejam prejudicadas.

Assista as entrevistas completas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui