Nova fórmula de avaliação do PCCS está em análise

0
153

Depois que o Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto pediu a suspensão da primeira fase de avaliações do PCCS – Plano de Cargos, Carreiras e Salários – foram realizadas duas reuniões da comissão de diretores da entidade com os diretores administrativos da Secretaria Municipal de Administração para definir uma adequação no processo de avaliação. O governo municipal através da secretaria da administração,apresentou uma sugestão de aplicação dessas avaliações de novembro de 2015 a maio de 2016. Esta fórmula de avaliação está em processo de análise e a expectativa, segundo os membros da comissão, é chegar ao conceito final dessas avaliações o mais rápido possível.

A decisão deve ser divulgada até o final do mês de abril e serão aplicadas somente nas avaliações de maio a abril, para as próximas avaliações novas reuniões da comissão do PCCS devem acontecer para decidir a necessidade, ou não, de se implantar um novo modelo nas próximas fases de avaliação.

Para o Diretor do Sindicato e membro da comissão do PCCS, Gaspar Marcelino, se a outra comissão formada pela administração concordar com essa fórmula, os servidores serão beneficiados visto que ela atenderá, nesse momento, de maneira mais adequada aos anseios da categoria sobre a aplicação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários.

A preocupação de que o plano faça justiça ao maior número de servidores é constante para o vice-presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto, que reforça o compromisso da diretoria para as maneiras de aplicação. “Entendemos que é preciso sempre aprimorar essas avaliações buscando sempre a valorização dos trabalhadores. Estaremos atentos em todos os momentos para que o trabalhador não fique prejudicado”, comentou Laerte.

O mesmo pensamento é compartilhado pelo também Diretor do Sindicato e membro da comissão do PCCS, Wellington Bellinazzi. Ele concorda que esta maneira apresentada é mais justa aos servidores avaliados. “Muitos trabalhadores estavam preocupados de como as avaliações estavam sendo feitas e isso também era uma preocupação muito grande do Sindicato. Nós, inclusive pedimos a suspensão das avaliações em fevereiro deste ano. Agora esperamos que o governo entenda que e essa mudança é necessária e aprove o novo formato que está em análise”. Completou o coordenador.

 Em fevereiro deste ano, quando o pedido de suspensão foi protocolado pelo Departamento Jurídico do Sindicato, o Presidente Wagner Rodrigues chegou a falar sobre a insatisfação dos servidores em relação ao formato da fórmula. Na época ele considerou incabível o modelo. “Existem alguns equívocos no decreto que regulamenta a fórmula, o método e os parâmetros. Do jeito que está sendo feito inviabiliza que os servidores conquistem as promoções previstas no PCCS. Isto é incabível e precisa ser mudado”, disse o presidente do Sindicato na semana em que o documento foi protocolado, Wagner Rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui