Sindicato conquista mudanças para nebulização

0
118

A Diretoria Atuante do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto cobrou durante reunião com o Secretário da Saúde Dr. Stênio Miranda e com o Secretário de Governo, Marcus Berzoti, a mudança nos horários de nebulização. O pedido dos trabalhadores foi aceito pelo secretário e as alterações devem acontecer em breve. Ficou estabelecido que nos dias de nebulização, os agentes de combate a endemias farão o trabalho apenas na parte da manhã por seis horas continuas com intervalo 15 minutos e liberados em seguida sem redução no salário ou vale-alimentação. O acordo terá validade assim que for publicado no diário oficial a resolução do que foi definido, isso deve acontecer nos próximos dias.

Atualmente a nebulização é feita no horário normal das 8:00 às 17:30 com intervalo de uma hora e meia de almoço. Mas a aplicação do veneno no período da tarde não tem a mesma eficácia dos horários em que a temperatura está mais baixa, manhã e noite, por exemplo.

Essa mudança nos horários era uma cobrança importante do Sindicato, explica a Coordenadora da Seccional da Saúde Débora Alessandra. “É um pedido dos trabalhadores feito na data-base deste ano. Havia laudos que contestavam a eficácia do veneno aplicado no período da tarde e nós sempre cobramos isso da secretaria da saúde. Ribeirão Preto é uma cidade muito quente e o trabalho deles era desperdiçado quando feito na parte da tarde”. Em relação à liberação da equipe após o serviço, Débora comenta a importância. “Existe uma longa exposição ao veneno durante a aplicação e mesmo usando todos os equipamentos de proteção individual, ele é altamente tóxico, quem faz esse tipo de trabalho quando termina quer ir pra casa tomar um banho. Além do mais, o trabalho é extremamente exaustivo, a bomba que eles carregam nas costas é pesadíssima. É uma questão de valorização profissional”. Relatou a coordenadora.

Também ficou definido que os trabalhadores farão o serviço em escala de rodízio de no máximo três vezes por semana para cumprir a carga horária de 33 horas semanais.

 Em casos de necessidades ou epidemias o trabalho de nebulização também poderá acontecer no período da noite com pagamento de hora extra.

 

Contratação

Durante a reunião a contratação de mais agentes também foi solicitada ao secretário de governo, Murcus Berzoti. Atualmente existem apenas 100 agentes de combates a endemias em exercício. Número insuficiente e que eleva o desgaste físico desses trabalhadores devido à sobrecarga de trabalho. “Aproveitamos e colocamos esse assunto em pauta para o secretário. Deveria haver pelo menos o triplo de cargos do que tem hoje. Em casos de uma futura epidemia de dengue, por exemplo, Ribeirão Preto não estaria preparada para esse surto. O secretário irá analisar o pedido”. Alertou a Coordenadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui