Por um Brasil mais justo

0
94

Valdir Avelino – presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis

presidencia@municipais.org.br

Foi realizado ontem, terça-feira, o lançamento oficial das atividades do 1º de Maio deste ano. O lema do 1º de maio unitário deste ano é “Por um Brasil mais Justo”. O evento simbólico de lançamento do Dia Internacional do Trabalhador (Unificado) foi marcado por um dia inteiro de mobilização e conscientização sobre os desafios enfrentados pelos trabalhadores brasileiros. O evento realizado no Lago da Concórdia, na capital paulista, foi conduzido conjuntamente pelas centrais CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, Força Sindical, CUT, UGT, Nova Central, CSB, Intersindical e Pública.

 As centrais sindicais destacaram uma série de reivindicações que refletem as demandas urgentes da população brasileira. Deve-se festejar a queda do desemprego, mas não se pode ignorar a precariedade do mercado de trabalho, que demanda políticas públicas sólidas, que ainda não foram efetivamente apresentadas para o povo brasileiro. Por isso, um dos eixos centrais do 1º de Maio deste ano é a luta por emprego decente. Diante do persistente desafio do desemprego, as centrais sindicais exigem políticas públicas e ações governamentais que promovam a geração de empregos de qualidade e garantam condições dignas de trabalho para todos os brasileiros.

 O Brasil vive um novo cenário que abre espaço para o Copom reduzir os juros, sem o risco de perder o controle no processo de trazer a inflação de volta à meta no longo prazo. Por isso a luta dos trabalhadores neste 1º de Maio é também por menos juros.  A redução da taxa de juros do Banco Central é vista como essencial para estimular o crescimento econômico, facilitar o acesso ao crédito e aliviar o peso das dívidas sobre os trabalhadores e suas famílias.

 Nos últimos anos foram inúmeros os reveses para os aposentados brasileiros, marcando um triste capítulo na história dos direitos previdenciários do país. As Centrais Sindicais, unidas, lutam para reverter esse quadro em defesa de uma aposentadoria digna. Em meio a debates sobre reformas previdenciárias, é defendido o direito fundamental à aposentadoria digna, assegurando que os trabalhadores possam desfrutar de seus anos de descanso com segurança financeira e qualidade de vida.

 Salário igual para trabalho igual é outra bandeira importante do 1º de Maio deste ano. A luta pela igualdade salarial entre gêneros é uma bandeira histórica do movimento sindical. Atualmente, o foco está na efetiva aplicação da Lei nº 14.611/2023, que promove a obrigatoriedade da igualdade salarial entre homens e mulheres nas empresas.  No Dia do Trabalhador deste ano também levantaremos a necessidade, urgente, da correção da tabela do Imposto de Renda. Isto porque a defasagem na tabela penaliza, principalmente, os trabalhadores de baixa e média rendas. As centrais sindicais exigem a correção dessa tabela para garantir uma tributação mais justa e equitativa. E, por fim, o 1º de Maio Unificado também será um momento em que todas as centrais sindicais, conjuntamente, defenderão a mais ampla e efetiva Valorização do Serviço Público. Em face das ameaças de privatização e precarização dos serviços públicos, é fundamental valorizar e fortalecer o papel do Estado na promoção do bem-estar social, garantindo o acesso universal, de qualidade à saúde, educação, segurança e outros serviços essenciais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui