Servidores suspendem greve na Educação e GCM retorna com 80%

0
104

Na noite desta quinta-feira, 13, em Assembleia Geral realizada na sede do Sindicato, os servidores municipais em greve há 15 dias, não votaram a proposta encaminhada pelo Governo Municipal de reajuste salarial de 4,69%, dividido em três parcelas (março, setembro e dezembro), e decidiram suspender a greve na Secretaria da Educação e decidiram por cumprir a liminar que determina 80% dos serviços na Guarda Municipal até terça-feira, 18, quando ocorrerá uma audiência de conciliação no Fórum local. Também na terça-feira será realizada uma nova assembleia, às 18 horas, na sede da entidade. Nas demais Secretarias a greve continua.

A decisão foi motivada pelo descontentamento da categoria diante da nova proposta que, se comparada à oferta feita no dia 7 que foi recusada pelos trabalhadores, apenas antecipa em um mês as duas últimas parcelas, de 1,56%, da reposição salarial e por um conjunto de liminares obtidas pelo Governo municipal junto à Justiça local, que determina que 80% dos servidores municipais da Educação e GCM  retomem suas atividades laborais imediatamente. Lembrando que, desde o início da greve, o DAERP está impedido de participar do movimento, em razão de uma liminar que determina o funcionamento de 100% da autarquia.

Proposta não foi votada

105_1

A proposta apresentada pelo Governo Municipal não foi sequer votada, pois o texto apresentado é impreciso e causou diversas dúvidas na categoria que quer mais  transparência da prefeitura na apresentação da proposta. Além disso, os servidores municipais não aceitam o parcelamento da correção salarial. Assim, foi aprovado que a negociação se dê junto ao Poder Judiciário, com uma proposta de índice com incorporação imediata.

“O Governo diz que os servidores municipais são intransigentes; que, no curso das negociações não fizeram qualquer contraproposta. Primeiramente, queremos mostrar à população, que paga nossos salários, que queremos apenas a correção salarial anual prevista na Constituição. E, desse modo, desafiamos o Governo a cumprir a Lei Federal fazendo uma reposição salarial de forma integral”, diz o presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

Assim, às atividades nas secretarias e autarquias que estão sob decisões liminares retornarão,  a partir de segunda-feira, 17, ficando desde já marcada uma Assembleia Geral para a próxima terça-feira, às 18 horas, na sede do Sindicato, onde serão avaliados os resultados da mesa de negociação e a decisão pela retomada, ou não, do movimento grevista!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui