Seccional da GCM se reuniu com superintendência; precatórios serão pagos ainda em 2019

0
113

A Seccional da Guarda Civil Municipal do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis se reuniu com a superintendente da autarquia, Mônica Noccioli, na tarde desta terça-feira (15) para tratar questões importantes para a categoria. Dentre os temas foram discutidos o “precatório da Guarda”, a solicitação de novo armamento e ainda a adequação das normas de uso dos parques municipais.

O primeiro tema abordado foi a ação judicial vencida no ano passado pelo Sindicato que assegura aos GCMs o pagamento de R$ 10,8 milhões por parte da administração municipal. O processo é fruto de um acordo assinado entre a Guarda e a entidade sindical garantindo alguns direitos aos trabalhadores, dentre eles a incidência dos adicionais quinquênio e sexta parte sobre o, agora extinto, prêmio incentivo. “Nós fomos até a superintendente cobrar que o pagamento desses precatórios seja efetuado o mais rápido possível. Em conversa a comandante nos comunicou que esse pagamento acontecerá em 2019, sendo dezembro o mês limite para isso. Na verdade o governo precisa quitar essa “dívida” com o servidor ainda este ano, sob pena de sofrer sanções legais caso não o faça, inclusive responder por improbidade administrativa”, explicou Ricardo Palaveri, coordenador da Seccional da GCM. “Pagar logo vai ser bom não só para os servidores, que receberão os direitos, mas também para o próprio governo, já que essa ação é de um montante bastante alto e sobre esse valor vão correndo juros pesados, ou seja, quanto antes o pagamento maior a economia do município”, continuou.

Matéria (1)_1

Outro tema de interesse da corporação e que foi levado a superintendente se relaciona a necessidade de renovação do armamento utilizado no trabalho. “Metade da instituição está usando o revólver 38 que é um modelo mais antigo, adotado em 2000 quando a Guarda passou a ser armada, e a outra metade está com a pistola 380. O que a Seccional pede é que os revólveres sejam substituídos por um armamento melhor “, afirmou Palaveri. “É uma questão de cuidado, os criminosos hoje estão muito bem equipados e bem a frente das instituições de segurança na questão de armas. O que pedimos é a renovação desse armamento mais antigo por algum modelo mais moderno como as próprias 380 já usadas pelos novos guardas ou até mesmo as .40, qualquer equipamento que possa nos ajudar é bem vindo”, complementou Valdir Avelino, diretor de sindicalização do Sindicato e GCM.

Na reunião outra problemática levantada foi a necessidade de algumas alterações no funcionamento do Parque Tom Jobim, localizado na zona Norte da cidade. Apesar da constante presença de uma guarnição no local, o espaço ainda registra algumas ocorrências. “O primeiro problema é relacionado ao uso de bicicletas. As pistas lá são estreitas e dificilmente o ciclista passa sem “atropelar” o cidadão que está caminhando. Nossa solicitação ao comando é referente a limitar o uso de bicicletas para crianças até 10 anos, assim como já é feito em outros parques da cidade”, disse Avelino.

Ainda sobre o Tom Jobim a Seccional, visando oferecer maior segurança a população, pediu novas medidas quanto ao acesso e circulação dentro do parque. “O Tom Jobim com mais de 70 mil m² tem dois portões, para segurança não é viável haver entrada num ponto e saída em outro. O que costuma acontecer nessas situações é: enquanto o guarda cuida de um dos portões o meliante comete o crime no interior do parque e sai pelo outro. Pedimos que se mantenha aberto apenas o que fica próximo a base do parque e se feche o outro portão”, esclareceu Palaveri.

Matéria (4)_2

Mantendo a mesma linha de diálogo do último ano, a Seccional pretende continuar a se reunir mensalmente com a superintendência para tratar de forma direta as demandas da corporação. “Ficamos felizes em ter da superintendente o compromisso com o pagamento desses precatórios, agora queremos agilidade para nossos servidores”, ressaltou Laerte Carlos Augusto, presidente do Sindicato. “A reunião também foi importante para o debate de questões relativas a situação de trabalho dos GCMs, todas as demandas entregues ao comando vêm direto da base e representam os anseios do trabalhador que está todos os dias na rua e conhece as particularidades das situações que enfrenta. É necessário debater esses assuntos e, mais importante ainda, encontrar soluções. Tenho acompanhado as ações da Seccional da GCM e esses homens fazem um grande trabalho pelo servidor, a eles nossos agradecimentos”, finalizou o presidente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui