Proposta é considerada "indecente", servidores pedem para rasgar oferta, e greve caminha para o 8º dia

0
131

Depois de praticamente 12 horas de manifestações em frente ao Palácio Rio Branco nesta segunda-feira (30), sete dias de greve e muita insatisfação por parte dos trabalhadores, o Governo Municipal entregou uma proposta considerada “Indecente” e ofensiva, frustrando a categoria que rejeitou, por unanimidade, a oferta. Após rejeitarem a proposta do Governo, aponto de pedir que a oferta fosse rasgada, os trabalhadores votaram e aprovaram a continuidade da greve e das manifestações em frente ao Palácio Rio Branco nesta terça-feira, dia 31.

Irritou ainda mais a categoria

A forma que o governo decidiu fazer uma proposta para os trabalhadores irritou ainda mais a categoria. Depois de cancelar a reunião que estava marcada para às 14 horas desta segunda-feira, o Governo fez uma oferta através de um ofício, por volta das 18h15 minutos, quando a prefeitura estava sendo fechada. “Em nenhum momento o Governo quis sentar com os trabalhadores e debater um reajuste digno. Parece que eles querem que a greve continue”, diz o vice-presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

Proposta rejeitada

Na proposta enviada aos servidores, o Governo Municipal ofereceu um abono de R$ 300 para toda a categoria mais um reajuste de 6,23% no vale-alimentação e no vale – nutricional dos aposentados e pensionistas. Também foi oferecido a volta do pagamento dos 10 dias de férias. Nos outros itens que constam na proposta, cerca de 12, o governo se comprometia a apenas estudar a implantação dos mesmos como a regulamentação da carga horária 12×36, por exemplo. “Qual é o problema que esse Governo enxerga em sentar e discutir com os servidores um reajuste justo para a categoria? Ninguém morde, ninguém tem raiva entre os trabalhadores. O Governo só não pode fazer da forma que fez, e pior, entregar uma proposta de abono salarial e não de reajuste. Abono não é salário. Os servidores não apenas rejeitaram a proposta como eles se sentiram ofendidos a ponto de pedirem para que a oferta fosse rasgada, o que acabou acontecendo. Os servidores estão indignados com o tratamento que eles estão recebendo, sem diálogo. A greve vai continuar, chegará ao 8º dia e sem previsão de fim, pois esse Governo não sabe e não quer dialogar com os trabalhadores. Como já foi dito, não vamos pagar a conta do rombo que causaram nos cofres da prefeitura”, afirma o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

Servidores exigiram que proposta fosse rasgada.

Definição da assembleia

Com a rejeição da proposta feita pelo Governo, os servidores municipais que lotaram a frente do Palácio Rio Branco, cerca de três mil trabalhadores, foi deliberado que a greve segue por tempo indeterminado e as manifestações em frente a prefeitura continuam nesta terça-feira, a partir das 7 horas. “Também foi aprovado pela categoria uma manifestação através de panfletagem no centro da cidade para conscientizar a população e os comerciantes dos problemas existentes no município e das justas cobranças que estamos fazendo. Vamos continuar com nossa vigília em frente ao Palácio e amanhã vamos lotar mais uma vez a Câmara Municipal”, fala o vice-presidente do Sindicato, Nelson Barbosa.

     

Apoio total aos Servidores

Além do apoio da população demonstrado no protesto da última semana, os servidores puderam contar nesta segunda-feira com o apoio dos vereadores Ricardo Silva, André Luiz e Rodrigo Simões que estiveram ao lado dos trabalhadores durante todo o dia.

A contribuição com o movimento dos servidores municipais também foi demonstrada pela CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – representada pelo Presidente Nacional, Adilson Araújo e pelo Presidente Estadual, Onôfre Gonçalves.

Todos participaram do protesto e acompanharam de perto a assembleia realizada na porta da prefeitura onde os trabalhadores votaram pela continuidade da greve.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui