Professoras da EMEI Teresa Hendrica param em nome da gestão democrática

0
157

O Sindicato foi chamado à EMEI Teresa Hendrica, na manhã de quinta-feira (27), pois professores e mães de alunos estavam realizando em frente à escola um movimento em defesa da gestão democrática da educação e pelo respeito à soberania das decisões do Conselho de Escola, conforme definido no artigo 73, do Estatuto do Magistério Municipal.

Tudo começou, segundo as professoras, em razão de a Secretaria Municipal de Educação – SME desrespeitar a decisão do Conselho de Escola, que decidiu por uma grade curricular para o ano de 2017 diferente da que fora elaborada pela equipe técnica da SME. Como a Diretora da Escola, Profª Mônica, se colocou ao lado das professoras e pais de alunos, a SME decidiu exonerá-la do cargo.

Ao chegar à escola e tomar ciência do que estava ocorrendo o vice-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Prof. Donizeti Barbosa, juntamente com a coordenadora da Secional da Educação, Profª Cristiane Gonçalves, ponderou sobre a necessidade de uma reunião na SME, com o secretário, Prof. Luiz Rufino, e sua equipe, a fim de esclarecer os pontos controversos e tentar solucionar o impasse, mas foi informado pelas professoras que “o secretário não receberia ninguém”. Mesmo assim, os representantes do Sindicato ligaram para a SME e a reunião foi marcada com uma comissão de professoras, representantes do Sindicato e representantes do Conselho Municipal de Educação.

Às 10h15, pontualmente, iniciou-se a reunião na SME. Dela participaram quase todas as professoras da EMEI Teresa Hendrica, a Diretora Mônica, o Sindicato, membros do CME, o Secretário de Educação do município e toda sua equipe.

Os pontos principais discutidos nas duas horas de reunião foram a busca da suspensão da exoneração da diretora Mônica e o inteiro respeito às decisões do Conselho da Escola referentes à grade curricular para 2017, que prevê a abolição das turmas de período integral para o próximo ano letivo, a fim de manter todos os alunos na escola, com o que não concorda a equipe técnica da SME.

“Minha posição é pelo respeito à gestão democrática. Todos os depoimentos, das professoras e mães de alunos, enalteceram o trabalho da Profª Mônica à frente da direção da escola. Portanto, não faz sentido a exoneração neste momento”, alerta a Profª Cristiane Gonçalves, coordenadora da Seccional de Educação do SSM.

Após exaustivas discussões e ponderações dos presentes, inclusive, mães de alunos, o secretário acatou a sugestão do Sindicato no sentido de sopesar tudo o que foi debatido e, na presença da Entidade e CME, tomar uma decisão definitiva sobre a suspensão da exoneração da diretora e a manutenção da decisão do Conselho de Escola sobre a grade curricular, na próxima segunda-feira (31/10), no período da manhã.

“A minha expectativa é pela revisão da exoneração da diretora Mônica e pela manutenção da decisão do Conselho de Escola. Assim que o Secretário Luiz Rufino se posicionar, a decisão será levada aos pais e professores da escola, que definirão democraticamente o melhor caminho a seguir”, concluiu o Prof. Donizeti Barbosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui