Primeiro dia da Agenda de Mobilização teve protesto no Daerp

0
102

Data-Base 2019

O 1º dia da Agenda de Mobilização foi marcado pelo protesto da direção do Sindicato e dos trabalhadores do Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto (DAERP). Além de conversar com a categoria, a direção do Sindicato criticou duramente a postura intransigente e a falta de diálogo do Governo Municipal. Os trabalhadores também se manifestaram e mostraram-se irritados com o tratamento dado à categoria nesta data-base. O Sindicato dos Servidores criou uma agenda de mobilização da categoria e vai  realizar diversos atos em todas as Secretarias e Autarquias com manifestações contra a política de congelamento de salários dos trabalhadores e a falta de investimentos em condições de trabalho.

173_1

Ato desta quarta será na Infraestrutura

Dando continuidade a Agenda de Mobilização, a direção do Sindicato dos Servidores Municipais realizará mais um ato para mobilizar a categoria. Desta vez a manifestação será feita na Secretaria de Infraestrutura, no setor da garagem – Rua Patrocínio 2828.

O ato desta terça-feira foi excelente! Os trabalhadores mostraram-se muito descontentes com a forma que o Governo está conduzindo esta negociação. A falta de diálogo está irritando a categoria, que caminha para uma greve caso essa postura fechada permaneça. Temos a certeza de que a mobilização dos trabalhadores da “Infra” não será diferente, pois essa é uma das Secretarias (se não for a mais) prejudicadas em Ribeirão Preto pela política de precarização e de sucateamento aplicada no município. Nesta quarta-feira (27) vamos conversar com os trabalhadores da Infra e vamos dar continuidade à Agenda de Mobilização no decorrer da semana“, revela o presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

Laerte afirma que “ainda esta semana a direção do Sindicato vai voltar ao Palácio Rio Branco, sede da Prefeitura, para realizar mais um protesto dos trabalhadores, caso o Governo Municipal não reabra o canal de negociação com os servidores“.

Cobrança dos Servidores

categoria cobra da administração um reajuste salarial de 5,48% (sendo 3,78% de reposição da inflação e 1,7% de aumento real). O mesmo índice de reajuste (5,48%) é reivindicado na reposição do vale-alimentação e na auxílio nutricional dos aposentados e pensionistas. Porém, o Governo Municipal fez uma proposta de reajuste na primeira, e única reunião, de zero % de recomposição salarial!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui