Prefeitura desconta empréstimos de servidores, mas não repassa dinheiro ao banco

0
174

Servidores foram surpreendidos no início desta semana com ligações da instituição bancária Caixa Econômica Federal cobrando o pagamento de empréstimos consignados. O Servidor Municipal que fez empréstimos no banco tem o valor do financiamento descontado na folha de pagamento todos os meses, mas, a Prefeitura de Ribeirão Preto, responsável pela transferência do dinheiro à instituição bancária, não está fazendo o repasse. Muitos servidores já receberam a ligação, constrangedora, cobrando a última mensalidade do empréstimo.

A Caixa Econômica Federal, é o banco que hoje paga os salários depositados pela prefeitura a todos os Servidores Municipais, aliado a esta transação, o banco oferece a facilidade de empréstimos descontados no holerite do funcionário público. O Presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Wagner Rodrigues, descreve a atitude da Prefeitura como inaceitável, e ainda lembra que, por conta disso, o servidor corre o risco de ter o nome sujo na praça. “O valor que você paga na parcela pro banco é feito diretamente pela prefeitura e, isto não está ocorrendo, ou seja, desconta-se do holerite do servidor no dia 30 de todos os meses e o repasse à Caixa Econômica Federal não é feito. A Caixa está colocando o seu telemarketing para cobrar os servidores dando um prazo de 5 dias, apenas, para ele poder quitar e, se não quitar, terá seu nome inserido no SPC – Serviço de Proteção ao Crédito – além de uma ação judicial” disse o presidente.

Assim que tomou ciência da situação, a Diretoria do Sindicato se reuniu com o corpo jurídico para avaliar as medidas cabíveis. Durante essa reunião, o Presidente deixou claro que, se a instituição financeira entrar na justiça contra o servidor por uma dívida indevida, também será tomada medidas jurídicas que podem até custar o mandato da prefeita. “Se isso ocorrer de fato por parte da Caixa, nós vamos acionar a Prefeitura, mais uma vez, por apropriação indébita. Isso pode gerar uma cassação do mandato por uso indevido do dinheiro que foi descontado do salário do trabalhador”. O presidente ainda orienta os servidores que têm empréstimos financeiros com o banco e que receberem a cobrança. “O servidor que receber essa ligação deve pedir para que a caixa tome todas as medidas para resolver a situação com a prefeitura. Agora, se ela [caixa] ingressar com medidas jurídicas contra ele, o que é o mais provável, nós vamos imediatamente entrar com uma medida judicial contra o governo municipal e cobrar a questão da improbidade administrativa. É inaceitável que o governo tenha um tipo de atitude como essa. Tirar do servidor, não repassar e ainda usar esse dinheiro para ‘tocar’ a prefeitura” finalizou Rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui