Os servidores e o Plano Diretor

0
128

Por Jacira Campelo Araújo*

A discussão sobre o Plano Diretor deve criar uma mesa de diálogo local e permanente sobre política urbana. Com esse diálogo podemos diminuir os possíveis efeitos predatórios dos interesses do setor imobiliário no desenvolvimento da cidade. Com diálogo é possível a construção de políticas e programas que – integrados – buscam a justiça social, o desenvolvimento sustentável, a valorização do trabalho e uma vida melhor para todos.
É preciso discutir a cidade e os instrumentos para avançarmos em desafios. O diálogo entre o Governo e a sociedade é fundamental para criarmos um ambiente favorável de discussão e elaboração coletiva do novo Plano Diretor. Afinal, em quais regiões se devemos incentivar desenvolvimento e construção? Onde e sob quais critérios favorecer a instalação de empresas? É melhor permitir que as torres fiquem mais altas ou que a cidade se espraie? Como assegurar que o ‘boom’ imobiliário também beneficie famílias mais pobres?
Os problemas e as oportunidades de Ribeirão Preto, sem dúvida, se comparam aos desafios de uma grande capital brasileira. Se fosse uma capital de estado, nossa cidade estaria à frente de capitais de vários estados, como Mato Grosso, Espírito Santo e Santa Catarina. Mesmo assim, nossa cidade, obviamente, não interfere decisivamente em ciclos econômicos nacionais e internacionais. Sofre, entretanto, efeitos da produção em baixa, registrada nas constantes recaídas do PIB.
Esse crescimento econômico da cidade murcha justamente quando o modelo de desenvolvimento centrado no consumo entra em xeque. O emprego e a renda já não possuem a mesma exuberância do passado. A Ribeirão Preto de hoje é uma cidade que tem mais mulheres. Está menos jovem. É predominantemente urbana. Tem mais acesso a serviços.
Neste momento, quando planos de desenvolvimento e crescimento estão sendo desenhados, a questão de um serviço público valorizado, estruturado e de qualidade precisa conquistar um lugar estratégico na discussão. Apenas compartilhando pontos de vistas, podemos compartilhar soluções e saídas. Os servidores municipais de Ribeirão Preto discutem o Plano Diretor, comprometidos em equilibrar o crescimento da cidade com o desafio constante da distribuição de renda, qualidade de vida e da inclusão social.

* Secretária Geral do Sindicato dos Servidores Municipais
de Ribeirão Preto e Guatapará, diretora estadual da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil e da UBM (União Brasileira de Mulheres)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui