Nota de Repúdio

0
126

As medidas anunciadas pela equipe de transição e pelo futuro prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, na manhã desta sexta-feira (30) em uma entrevista coletiva concedida à imprensa do município, explicitam o verdadeiro pacote de maldades que a nova administração tentará empurrar goela abaixo dos servidores municipais e dos ribeirão-pretanos a partir do primeiro dia de 2017. Algo, inclusive, bem diferente do que o futuro governo prometeu em seus programas eleitoreiros. O Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis repudia veementemente qualquer tentativa ou possibilidade da retirada  ou suspensão de conquistas históricas dos trabalhadores. A entidade que representa o funcionalismo em Ribeirão crê em uma administração progressista, que visa o fortalecimento da máquina pública através de investimentos em qualidade e condições de trabalho. Em um período de crise nacional, a Diretoria Atuante enxerga no Serviço Público de Qualidade oferecido pelo município uma grande possibilidade de superar os desafios impostos pelo momento infortúnio. Também é inadmissível para a entidade que representa os trabalhadores receber como sugestão, de uma nova gestão de um município potencialmente econômico como Ribeirão, que uma das maneiras de controlar a crise é não reajustar os salários dos funcionários que fazem a cidade acontecer. Vale ressaltar que o Sindicato espera, além do reajuste salarial, que é um direto Constitucional de todo trabalhador brasileiro,  um ganho real em 2017 para combater os efeitos nocivos de uma inflação que assola a todos.

Por fim, o Sindicato dos Servidores não medirá esforços para manter as conquistas históricas dos servidores de Ribeirão Preto e, sobretudo, garantir novos avanços para a categoria.  

Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui