Governo faz proposta, servidores recusam e greve está marcada para sexta-feira

0
97

O novo Governo de Ribeirão Preto se reuniu com o Sindicato dos Servidores na tarde de segunda-feira, 02, no Palácio Rio Branco, e propôs o pagamento dos salários dos trabalhadores até o dia 11 de janeiro. A proposta, encaminhada para a categoria na assembleia ocorrida na noite do dia 2, não agradou aos servidores que votaram pela realização de uma greve, a partir da zero hora de sexta-feira, dia 6, respeitando o prazo legal para a realização das paralisações (72 horas após o comunicado ser feito ao governo). A entidade que representa os servidores vai protocolar a decisão categoria na terça-feira (3).

laerte leu proposta

“Na primeira reunião oficial que tivemos na tarde de hoje (2) com o novo governo, informamos que os trabalhadores estavam insatisfeitos com o atraso dos salários, o que é perfeitamente compreensivo, afinal há anos não se atrasava salário em nosso município. Também mostramos aos administradores que o prazo limite do dia 13 para pagar os vencimentos já havia deixado a categoria descontente. O governo conversou e fez uma proposta oficial de pagar até o dia 11, mas a oferta foi rechaçada pelos trabalhadores que esperavam receber imediatamente. A greve foi aprovada e se o pagamento não acontecer até a madrugada da sexta-feira, dia 6, as paralisações atingirão todos os setores da administração direta e alguns de autarquias onde os servidores não receberam, como a Guarda Municipal”, afirma o presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

encaminhou votação

Greve começa à zero hora de sexta

A decisão tomada pelos servidores municipais pela realização de uma greve será comunicada ao governo municipal já nesta terça-feira, dia 3. Após a notificação, os prazo legal de 72 horas será respeitado e as paralisações terão início à zero hora de sexta-feira, dia 6.

primeira reunião novo governo

Na primeira reunião oficial governo fez proposta que não agradou a categoria

“O prazo legal tem de ser respeitado, para que o movimento da categoria não seja prejudicado. Os trabalhadores votaram quase que por unanimidade pela realização da greve, o que mostra o total descontentamento dos servidores com esta situação caótico que assola Ribeirão. Esperamos que o governo não meça esforços para resolver esse impasse e pague o que é direito dos servidores o mais rápido possível”, finaliza Laerte Carlos Augusto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui