Data-Base de Guatapará: Greve pode ser deflagrada na próxima segunda-feira

0
116

As propostas feitas pelo governo de Guatapará não agradaram os servidores municipais que entraram em estado de greve. As paralisações podem ser aprovadas na próxima segunda-feira caso o governo não faça uma nova oferta.

Os funcionários de Guatapará não concordaram com as propostas feitas pelo governo municipal e decidiram na Assembleia Geral da categoria na noite de segunda-feira, dia 25 de maio, pelo estado de greve.”As propostas feitas não atendem às necessidades dos servidores. Um reajuste de 3% está muito abaixo do índice inflacionário e pouco acrescenta nos salários dos trabalhadores. O governo precisa dialogar com os trabalhadores, repensar, e fazer uma proposta decente para a categoria. O estado de greve foi aprovado e na segunda-feira (dia 1º de junho) a greve pode ser deflagrada, caso o governo não faça uma nova oferta”, afirma o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

1ª Greve em Guatapará pode ser anunciada na próxima segunda-feira

Após 23 anos de emancipação, a cidade de Guatapará pode enfrentar a sua primeira greve da história. Com as propostas de reajustes feitas pelo prefeito Samir Redondo, e consideradas ruins pelos servidores, o município poderá enfrentar uma paralisação maciça da categoria. Na próxima segunda-feira, dia 1º de junho, está marcada uma assembleia geral com os trabalhadores, às 18 horas, e se o governo não chamar os trabalhadores para uma nova rodada de negociações e com nova proposta, a greve da categoria deve ser deflagrada.

Categoria tem de ser tratada com igualdade

De acordo com a Legislação Federal, a concessão de reajustes diferenciados para trabalhadores de uma mesma categoria,  viola o princípio da isonomia porque concede tratamento diferenciado a empregados numa mesma situação jurídica, sem justificativa plausível. Em janeiro de deste ano, o governo de Guatapará concedeu aos professores do município um reajuste superior a 10%. Os professores merecem o reajuste, assim como o restante da categoria. “O reajuste para os professores é justíssimo, mas ele também tem que ser dado ao restante da categoria, garantindo o princípio da isonomia”, afirma o coordenador da Seccional de Guatapará, Edgard Cruz.

Lei de Responsabilidade Fiscal

A alegação do governo de Guatapará de que o município está próximo do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, não pode ser dada como desculpa para não dar um reajuste digno para os trabalhadores. O Sindicato afirma que se a cidade enfrente dificuldades, os cargos comissionados sem vínculo têm de ser exonerados. “Não são os trabalhadores que vão pagar por erros administrativos do governo. Os trabalhadores têm direito a um reajuste digno”, diz Wagner.

Apoio da Câmara Municipal

Após a aprovação do estado de greve, os servidores municipais e os diretores do Sindicato foram até a Câmara Municipal reivindicar o apoio dos vereadores. Os vereadores receberam a entidade que representa a categoria e os trabalhadores. O presidente do Sindicato sugeriu que os vereadores criem uma comissão para acompanhar as negociações com o executivo. A proposta foi aceita e os vereadores se comprometeram e participar e ajudar na negociação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui