URGENTE: Tribunal de Justiça de São Paulo decide que somente professores filiados ao sindicato têm direito a receber os atrasados do vale-alimentação

2
18021

Todas as execuções particulares promovidas por servidores não filiados estão suspensas por decisão do desembargador Marcos Pimentel Tamassia, que é o relator do caso no Tribunal de Justiça de São Paulo – Processo nº 2192665-43.2022.8.26.0000. Aos interessados que não providenciarem a juntada da prova de filiação ao sindicato deverá ser negado, em definitivo, o direito ao recebimento dos atrasados por não preencherem as condições impostas pela Justiça

Segundo a 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o simples pertencimento a uma das carreiras do magistério não é suficiente para demonstrar a condição de credor dos valores atrasados do vale-alimentação. Acompanhando o voto do relator, desembargador Marcos Pimentel Tamassia, os demais membros da 1ª Câmara de Direito Público (TJ-SP) já decidiram, de forma colegiada e por unanimidade, pela inviabilidade da execução individual até que os professores municipais interessados comprovem a filiação ao sindicato. (Voto n° 16.729 Agravo de Instrumento nº 2192665-43.2022.8.26.0000)

O acórdão proferido pelo TJ-SP especifica que se não foram sanadas integralmente as irregularidades inicialmente verificadas pela não comprovação de filiação ao sindicato, a execução particular é inviável e deverá ser extinta na sequência. Havendo a extinção das execuções particulares pelo reconhecimento da ilegitimidade ativa dos professores não filiados, existe a possibilidade de estes ainda serem condenados a arcarem com os ônus de sucumbência, tendo em vista o Princípio da Causalidade.

O risco assumido foi extremamente alto e duplo, pois além de perder por completo o direito aos valores atrasados, o não filiado ainda pode ser condenado a pagar honorários a Prefeitura. Não foi por falta de aviso, nem orientação. O Sindicato vem alertando há tempos sobre o risco de se acreditar em anúncios ou áudios divulgados em redes sociais, que ofereciam a garantia de resultado jurídico certo e favorável a não filiados.

Infelizmente, centenas de professores foram levados a acreditar em promessas que inundaram as redes sociais que passaram a veicular (de maneira velada) publicações que nada mais eram que publicidade em massa dos serviços prestados por particulares, dando a entender que a contratação resultaria em vantagens – o que não ocorreu.

Em parecer assinado pelo procurador Róbson Felix Bueno, no Agravo de Instrumento nº 2192665-43.2022.8.26.0000, a Procuradoria Geral de Justiça, que chefia a atuação do Ministério Público no Estado de São Paulo, já havia manifestado o entendimento de que a iniciativa processual do sindicato na ação do vale-alimentação proporcional do magistério se dava restritamente em “benefício dos servidores sindicalizados, expressados nos limites de lei complementar municipal citada (LC nº 2524/2012)”.

DESEMBARGADOR ASSINA DESPACHO AUTORIZANDO O PROSSEGUIMENTO DAS EXECUÇÕES DE PROFESSORES FILIADOS AO SINDICATO

O desembargador Marcos Pimentel Tamassia, da 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo,  que foi o relator do voto que reconheceu o direito dos professores municipais ao vale-alimentação proporcional às horas trabalhadas, e que hoje é o relator de todos os casos envolvendo a execução dos valores atrasados, assinou um novo despacho no Processo nº 2192665-43.2022.8.26.0000 autorizando o prosseguimento das execuções dos professores filiados ao sindicato.

De acordo com o desembargador, houve um evidente equívoco na decisão que determinou a suspensão do andamento de todos os cumprimentos de sentença individuais. Com a correção do equívoco, o novo despacho determina apenas o sobrestamento (suspensão) das execuções individuais promovidas por servidores não filiados ao sindicato. No mesmo despacho, o desembargador Marcos Pimentel Tamassia determina que a retificação da decisão seja comunicada a juíza responsável pelas execuções na primeira instância (2ª Vara da Fazenda Pública). 

NOVAS INFORMAÇÕES E ESCLARECIMENTOS

Se você é filiado ao Sindicato e já compareceu à sede da entidade para providenciar os cálculos dos valores em atraso, você já fez o que precisava ser feito no momento para o prosseguimento seguro e válido da execução.

Se você é filiado ao Sindicato e não compareceu à sede da entidade para providenciar os cálculos, caso decida promover através da entidade a execução dos valores atrasados do vale-alimentação, você deve procurar, imediatamente, nosso departamento jurídico. As execuções dos filiados estão sendo apresentadas, de forma criteriosa e personalizadas, de acordo com a ordem de chegada das documentações.

Se você ainda não é filiado ao sindicato, não ingressou com execução particular, mas pretende se esclarecer melhor sobre os efeitos da ação coletiva do sindicato e sobre a possibilidade de ingressar com a execução dos atrasados, procure a direção da nossa entidade que, no caso dos professores, é coordenado pela nossa diretoria seccional da Educação.

Através de lives, entrevistas e novas reportagens, o Sindicato trará mais informações sobre as ações de cobrança e o recebimento dos valores em atraso do vale-alimentação dos professores filiados a nossa entidade. Acompanhe! Participe! Filie-se.

Sindicato, o tempo todo com você!

A filiação ao Sindicato que você pode fazer hoje, pode ser o que você irá precisar amanhã. Sindicalize-se agora mesmo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Brevemente estaremos livres dessa ditadura do Judiciário que compactua com essas caixinhas de coletas chamadas “sindicato”

    Dia 30 Liberdade abra as asas sobre nós!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui