Sindicato organiza ato contra Terceirização na UBDS Vila Virgínia e fechamento do PS-Central

0
454

Ato está marcado para a próxima segunda-feira (23), às 13 horas, em frente a Unidade Básica Distrital de Saúde da Vila Virgínia

 

A direção do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis está organizando um grande ato, para a próxima segunda-feira (23/08), a partir das 13 horas, em frente a Unidade Básica Distrital de Saúde (UBDS) Dr Marco Antônio Sahão, na Vila Virgínia, contra a terceirização dos serviços prestados na unidade e contra o Fechamento da UBDS Central (Pronto-Socorro Central), anunciados no início deste mês pelo Governo Municipal.

Para a entidade que representa os trabalhadores, a intenção da Administração, caso sua vontade seja concluída, é fechar postos de trabalho, diminuindo a oferta de serviços prestados, e precarizar os atuais serviços oferecidos à população.

Para o presidente do Sindicato, Valdir Avelino, o que o Governo está fazendo é uma espécie de “jogada de xadrez da maldade”. “Com a movimentação de uma única ‘peça’ no tabuleiro da Saúde, o Governo fecha o PS-Central, realoca os trabalhadores do local, que já são terceirizados, para a UBDS da Vila Virgínia, contrata novos terceirizados para a montagem do Centro de Saúde Mental e dá um xeque-mate na qualidade da saúde do município”, afirma Valdir.

Na avaliação da Direção do Sindicato, não faz sentido algum acabar com um pronto atendimento no centro da cidade, com acesso facilitado para todo ribeirão-pretano, para montar, se é que será montado, um serviço específico de saúde mental. “Ribeirão possui três Centros de Atenção Psicossocial (CAPS I,II e III) quem atendem pessoas com problemas psicossociais. Somos, inclusive, a favor da abertura do CAPS IV, mas não às custas do fechamento de uma Unidade Distrital Central de Pronto-Socorro. Que Governo é esse que quer oferecer um tipo atendimento em detrimento a outro?”, indaga o presidente do Sindicato, Valdir Avelino.

A luta do Sindicato é pela ampliação do serviços prestados na cidade, por investimentos no serviço público e pela contratação de servidores concursados.

 

Saúde não é comércio!

Ao querer terceirizar ainda mais os serviços públicos de Ribeirão Preto, o Governo Municipal institui uma espécie de comercialização da saúde, pois, dentro do processo de terceirização, a corrida comercial para vender serviços terceirizados para o município, a preços astronômicos, tem a largada iniciada. “A ideia de que custa menos um trabalhador terceirizado para a cidade é mentirosa. Realmente o terceirizado recebe menos pelo serviço prestado, mas há o empregador-empresário por trás dele que fica com a maior parte do valor pago pelas prefeituras. Terceirizar custa muito mais caro a qualquer cidade, e no final os serviços acabam sucateados”, comenta a coordenadora da Seccional de Saúde do Sindicato, Célia Lima.

“Estamos chamando a população, os vereadores, para que possamos barrar mais esta tentativa do Governo de diminuir e precarizar serviços públicos em Ribeirão. Nossa luta é pela manutenção de todos os serviços já ofertados na cidade e por mais serviços públicos de qualidade. Isso nós só vamos conseguir com investimentos, valorização dos trabalhadores e vontade política”, finaliza Valdir Avelino.

 

Atividade: Ato Contra terceirização da UBDS da Vila Virgínia e o Fechamento do Pronto-Socorro central
Local: Unidade Básica Distrital da Vila Virgínia  – Rua: Franco da Rocha, 1270
Horário: 13 horas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui