Sindicato intervém e rotina dos ACEs muda por conta da Covid-19

0
770

Intervenção do Sindicato foi necessária por conta dos riscos em que os trabalhadores estavam sendo expostos no dia a dia

Depois da intervenção da diretoria do Sindicato, feita através de reunião com o secretário Sandro Scarpelini,  diante da cobrança dos Agentes de Controle de Endemias (ACEs), a Secretaria Municipal da Saúde acatou o pedido da entidade e dos trabalhadores e mudou a rotina diária dos profissionais. A mudança foi necessária por conta do risco que os agentes de controle de endemias estavam sendo expostos diariamente no contato direto com a população na realização de suas funções, sem os devidos equipamentos de Proteção individuais (EPIs) necessários para a realização de um bom trabalho sem o comprometimento da saúde dos trabalhadores.

Transporte do ACEs

Diante do risco eminente de contaminação pelo coronavírus, que é extremamente alto, os veículos que transportam os agentes deverão passar por um processo de descontaminação diariamente. Além disso, a distância de segurança entre um trabalhador e outro deverá ser respeitada, diminuindo assim o risco de contaminação.

“Que façam mais viagens, mas é necessário transportar um número menor de trabalhador por veículo. Só assim vamos diminuir as chances de contaminação social para os nossos servidores”, diz o vice-presidente do Sindicato, Valdir Avelino.

Orientação para combater a dengue

Ficou acertado com a Secretaria da Saúde que as orientações aos munícipes de Ribeirão Preto continuarão sendo feitas, como sempre, a fim de controlar e diminuir os casos de dengue na cidade. Os trabalhos serão realizados no período exclusivo da manhã, das 7h30 às 13h30.

Pela saúde do trabalhador e da população

Para zelar pela saúde dos ribeirão-pretanos e dos servidores, ficou estabelecido que o ingresso dos agentes no interior das casas e demais locais está suspenso, evitando, desta forma, o contato direto entre a população e os trabalhadores. “No caso da dengue, a orientação é a melhor forma de se combater o mosquito. Ou seja, em nenhum momento o trabalho dos profissionais será suspenso ou trará prejuízo para a cidade. Evitando o contato direto, vamos evitar a contaminação das pessoas pelo coronavírus”, salienta o vice-presidente, Alexandre Pastova.

No final do ano passado o Sindicato já garantiu a suspensão das atividades dos ACEs quando a umidade relativa do ar estiver abaixo do recomendado

“É preciso que continuemos a zelar pela saúde dos servidores. Afinal, são os servidores que estão na linha de frente do combate a dengue e agora no combate a Covid-19. É o serviço público que vai suprir as demandas do povo. Mas pra isso precisamos estar bem de saúde. Por isso o Sindicato cobrou que a Secretaria da Saúde tomasse as medidas cabíveis para diminuir os riscos aos nossos trabalhadores. Estamos com o atendimento presencial suspenso, mas continuamos trabalhando e atendendo os servidores, sempre na busca do melhor para a categoria”, diz o presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

SINDICATO: o tempo todo com você!  

Veja abaixo o que fazer em caso de falta de EPIs

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui