Sindicato intervém e reajuste de 15% dos dependentes indiretos do Sassom é barrado

1
306

Diretoria do Sindicato conversou com conselheiros sobre a importância de barrar o projeto do Governo de reajustar em 15% os dependentes indiretos, principalmente neste momento de pandemia

Assim que recebeu a confirmação da votação do projeto do Governo Municipal para reajustar em 15% a tabela dos dependentes indiretos do Sassom, o Sindicato dos Servidores Municipais conversou com os conselheiros do órgão e tratou da importância de se rejeitar a proposta governamental, o que confirmou-se na manhã desta quinta-feira (06) em reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do Sassom.

Com sete votos a favor, seis votos contra e uma abstenção (veja a como cada conselheiro votou abaixo), a proposta do governo foi derrubada. Para aprovar o projeto o governo precisava de 2/3 dos votos, o que Não aconteceu.

“Desde que surgiu o assunto nós nos posicionamos contrariamente ao projeto. O servidor está há três anos sem o devido reajuste salarial e seria injusto reajustar a tabela dos dependentes indiretos, ainda mais num momento tão complicado como o que estamos passando”, argumenta o Conselheiro do Sassom indicado pelo Sindicato, Gaspar Marcelino.

Conversa com Conselheiros

Ao receber a confirmação da votação do projeto do governo que majoraria o que paga o trabalhador pelos seus dependentes indiretos, o Sindicato deu início a uma corrida contra o tempo e passou a conversar com os conselheiros. A direção da entidade tratou dos prejuízos que seriam impostos aos servidores caso o projeto fosse aprovado. “Foi muito importante falar com os conselheiros. Estamos sem reajuste salarial, vivemos o pior momento da pandemia e é preciso que o governo facilite o acesso das pessoas à saúde e não dificultar aumento o que se paga para ser ter respaldo do Sassom. Ainda bem que conseguimos barrar mais esta maldade contra o trabalhador”, ressalta o presidente do Sindicato Laerte Carlos Augusto.

Momento Inoportuno (pra não dizer outra coisa)

Para o presidente do nosso Sindicato, Laerte Carlos Augusto, “o que o governo fez ao encaminhar para o Conselho do Sassom uma proposta de aumento de 15% na tabela dos dependentes indiretos foi, no mínimo, inoportuno”. “Pra não dizer que foi maldade pura! Pois vivemos o pior momento da pandemia, com pessoas morrendo e sendo internadas diariamente, com ocupação de leitos superior aos 90%. É hora de cuidar do trabalhador, de seus familiares e de toda a população e não de impor ainda mais dificuldades ao povo”, finaliza Laerte.

Confira abaixo como votou cada conselheiro

VOTARAM A FAVOR DO AUMENTO:

FLAVIA MARIA DOS SANTOS (Sassom)

CINTIA PEREZ DE ANDRADE (SEMAS)

Dr. JOSÉ CARLOS L. BARCELOS (Sassom)

KATIA APARECIDA BELASCO (Executivo Municipal)

PAULA DE OLIVEIRA TINOCO (Sec. Saúde)

LUIZ CARLOS BARIANI (IPM)

FERNANDA CRISTINA PADIAL (Sec. Administração)

VOTARAM CONTRA O AUMENTO:

GASPAR MARCELINO LEMOS (Sindicato dos Servidores)

DENILSON FANTINI (Daerp)

Prof. NILTON CEZAR DA SILVA (Centro do Professorado Municipal)

MATHEUS BONANI (GCM)

JOSUÉ ELIAS DA SILVA (Associação da GCM)

ANTONINO FERRETTI SOBRINHO (AMAP)

 Abstenção:

NIVALDO MALARDO (Associação dos Servidores Municipais)

1 COMENTÁRIO

  1. Vergonha! Vergonha! Vergonha! Servidores Municipais votando à favor das maldades do prefeitinho!?! Jogando contra o próprio gol…aff…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui