Sindicato faz visita ao Horto e encontra cobranças atendidas e problemas sem solução

0
182

A Diretoria Atuante do Sindicato dos Servidores fez uma visita ao Horto Municipal na manhã de terça-feira, dia 6 de outubro, e encontrou algumas cobranças feitas pela entidade sendo atendidas e outros problemas antigos longe de serem resolvidos.

O que está sendo resolvido

No setor do viveiro do Horto alguns problemas antigos começaram a ser resolvidos. Há mais de um ano o Sindicato estava cobrando da Secretaria do Meio Ambiente a construção de um refeitório, de um vestiário e banheiros adequados. Depois de muita cobrança as obras já estão em andamento e devem ser entregues em 30 dias. Hoje o local também conta com câmeras de segurança que são monitoradas pela Guarda Civil Municipal.

Banheiro e vestiário do setor do viveiro já estão sendo reformados

“Estes eram problemas sérios que já estão sendo resolvidos. Fizemos a cobrança e ela está sendo atendida, e quem vai ganhar com isso é o servidor que terá um local decente para fazer suas refeições e banheiros dignos”, afirma o Coordenador da Seccional do Meio Ambiente, Josué Lourenço da Silva.

Em 30 dias as obras do refeitório e do banheiro deverão ser entregues

O que ainda está parado

Se no setor do viveiro alguns problemas estão sendo resolvidos, no parque do Horto a situação é bem diferente. Nada foi feito para mudar a dura realidade dos trabalhadores do local. A lagoa, um dos principais problemas, ainda continua bastante suja e recebendo esgoto daquela região. A água contaminada é utilizada para regar as mudas que são produzidas pelo Horto e os servidores têm contato direto com esta água. De acordo com o que foi apurado pelo Sindicato, a Secretaria do Meio Ambiente está elaborando um projeto para a lagoa, mas está longe de sair do papel.

A lagoa que é utilizada para regar as mudas continua da mesma forma: suja e contaminada.

A água contaminada da lagoa é utilizada pelos servidores para regar as mudas. 

Outro problema antigo enfrentado pelos trabalhadores é o refeitório do parque do Horto. A construção é antiga, o telhado está comprometido e ratos tomam conta do local.

O telhado do parque do Horto está comprometido e ratos tomam conta do local

“No parque do Horto nada foi feito. A lagoa continua completamente contaminada e representando um risco para a saúde do trabalhador. Também vamos cobrar que o refeitório do parque seja reformado. É inadmissível que os servidores continuem fazendo suas refeições naquele local sujo e com ratos. Quando chove é impossível permanecer no interior daquele espaço. O Horto desenvolvia um projeto com abelhas, o local era muito visitado por escolas e famílias, os bons projetos têm de ser colocados em prática novamente. Vale ressaltar que é preciso investir mais em segurança e na contratação de novos servidores ou em breve o Horto estará fechado”, ressalta Josué.

Diretoria Atuante acompanhou o andamento das obras do banheiro e da cozinha do setor de mudas

“É uma pena encontrar o Horto nestas condições. Um lugar tão bonito e com tanta natureza merece ser tratado com mais cuidado. Vamos cobrar da Secretaria do Meio Ambiente os investimentos necessários para melhorar as condições de trabalho dos servidores e para dar vida nova ao Horto”, fala o vice-presidente do Sindicato, Professor Donizeti Barbosa.

Núcleo da Criança e do Adolescente do Horto

Outro grave problema identificado no passado pelo Sindicato e que ainda encontra-se sem solução, é o Núcleo da Criança e do Adolescente do Horto Municipal.

A quadra onde as crianças realizam atividades físicas e de recreação está ocupada por mato e estruturas de ferros que seriam utilizadas para cobrir a mesma. Na visita feita esta semana, foi constatado pela diretoria do Sindicato que os ferros continuam no mesmo lugar, oferecendo risco para as crianças e que o espaço está ainda mais deteriorado. O Núcleo faz parte da Secretaria de Assistência Social.

Crianças e trabalhadores estão expostos aos riscos na quadra do Núcleo. 

“Conversei com a responsável pelo Núcleo e ela me disse que a intenção é utilizar a estrutura para cobrir a quadra, mas que não existe prazo para que isso aconteça. Não podemos aceitar que os alunos e os servidores fiquem expostos a esta situação de risco. Também vamos cobrar da SEMAS que o problema seja solucionado”, completa o coordenador da Seccional da SEMAS, Israel Marchiori Junior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui