Sindicato denuncia no MP falta de cozinheiros e precariedade de condições de trabalho

0
86

O Sindicato dos Servidores Municipais protocolou na tarde desta quinta-feira (6), no Ministério Público (MP), um documento denunciando a falta de cozinheiros e cozinheiras na rede pública municipal e a precariedade das condições de trabalho que os profissionais enfrentam no dia a dia, em razão do excesso de trabalho pela falta de mão de obra condizente com a demanda crescente de alunos.  Além da Diretoria Atuante, diversos profissionais da área estiveram presentes no momento em que a representação foi protocolada.

De acordo com informações obtidas pelo Sindicato através da Divisão de Alimentação Escolar (DAE), existem hoje no município 438 cargos de cozinheiro ativos, e destes, 43 estão afastados e 56 readaptados. No documento o Sindicato pede o preenchimento dos cargos abertos, 62, mais a contratação de pelo menos 200 profissionais para atender a demanda do município.

“Se hoje as crianças ainda têm uma alimentação adequada, de qualidade, é porque os cozinheiros e cozinheiras da rede se desdobram e se sacrificam para garantir essa alimentação. Esperamos que o Ministério Público tome as providências necessárias dentro de sua esfera de atuação para que este grave problema seja resolvido em Ribeirão”, diz a coordenadora da Seccional da Educação do Sindicato, Cristiane Gonçalves Francisco.

Resposta do governo é esperada nesta sexta-feira

A resposta prometida pelos secretários de Governo e Educação, Marcus Berzoti e Luiz Rufino, respectivamente, está sendo esperada para esta sexta-feira (7). Em reunião com o Sindicato e com os profissionais da rede municipal, os representantes do governo assumiram o compromisso de trazer para a categoria uma oferta de contratação.

“A reunião com o governo foi feita no dia 4 de outubro e os secretários pediram até o dia 7 para dar uma resposta para os servidores. O prazo se encerra nesta sexta-feira e esperamos que eles venham com o número de contratados para os cargos de cozinheiro, e que seja uma quantidade relevante de contratações”, finaliza Cristiane. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui