Sindicato convoca mega paralisação para segunda-feira (dia 6 de julho)

0
123

Se o governo não pagar os trabalhadores até o final da semana na segunda todos os servidores estarão de braços cruzados

O Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto está convocando todos os trabalhadores da administração direta, caso a prefeitura não pague a parcela do 13º salário, 1/3 de férias e os 10 dias de férias em pecúnia até a próxima sexta-feira, dia 3, para uma mega paralisação geral na próxima segunda-feira, dia 6 de julho. A paralisação se faz necessária devido ao não pagamento dos direitos dos servidores como havia sido acordado com o governo na data-base e oferecido por ele à categoria.

“Se a prefeitura não fizer os pagamentos até sexta-feira (3) na segunda-feira, dia 6, os trabalhadores irão para os locais de trabalho e ficarão de braços cruzados. O Sindicato vai percorrer todos os locais de trabalho para dar o respaldo necessário para os servidores. Vamos ao local de trabalho, mas permaneceremos de braços cruzados até que o governo pague o que é nosso por direito”, ressalta o Presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

“É impossível não realizar esta mega paralisação na segunda-feira (dia 6 de julho). Esse governo está brincando com a vida de milhares de trabalhadores. Tem gente que tinha férias marcada e contava com os pagamentos para poder desfrutar com a família e agora vê o sonho se tornar um verdadeiro pesadelo. Esses desmandos têm que acabar em nossa cidade. Esse governo se acha acima do bem e do mal, até quando será assim? Já tivemos paralisação na Infraestrutura hoje, todos os setores da Secretaria pararão amanhã e na segunda vamos parar todos os setores da prefeitura. Vamos mostrar para essa administração que não se deve brincar com a vida das pessoas”, afirma Wagner.    

Infraestrutura parou hoje e vai parar novamente

O Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto acompanhou na manhã de hoje, 1º de julho, a manifestação de aproximadamente 50 trabalhadores que fizeram uma paralisação de duas horas na Infraestrutura, no setor de Obras Públicas, em protesto ao não pagamento da primeira parcela do 13º salário. O Vice-presidente, Laerte Carlos Augusto, conversou com a categoria e com a secretária de infraestrutura, Ana Cristina Delgado. Sem acordo com o governo, os trabalhadores decidiram manter a paralisação por tempo indeterminado no setor e ficarão de braços cruzados, novamente, na manhã desta quinta-feira, 2 de julho, a partir das 7:00 horas. A Diretoria Atuante também adiantou que outros setores da Infraestrutura devem aderir ao protesto pelo mesmo motivo.

No período da tarde os trabalhadores tiveram um retorno do governo, mas o posicionamento da administração não foi diferente do que constava no ofício enviado ao Sindicato na terça-feira, 30 de junho, informando que “o pagamento da primeira parcela do 13º salário será no dia 20 de novembro de 2015”. O documento foi assinado pelo Secretário da Fazenda, Sérgio Nalini.

A antecipação do 13º salário foi estimulada pelo próprio governo e despertou o interesse de pelo menos 80% dos servidores que solicitaram esse adiantamento. O dinheiro deveria ter sido pago pelo governo no final do mês de junho, mas isso não aconteceu. Outra preocupação da categoria é a falta de pagamento dos benefícios daqueles que saíram de férias nesse mês de julho, mas que ainda não foram pagos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui