Sindicato busca novo modelo de relações de trabalho no Daerp

0
149

A Diretoria Atuante esteve na manhã de quinta-feira, 22 de janeiro, no Daerp – Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto – para discutir a situação atual dos trabalhadores da autarquia que tiveram a rotina de trabalho alterada depois que o governo assinou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), em 19 de dezembro de 2014, por meio houve uma limitação no número de horas extras diárias bem como uma redução no valor pecuniário pago aos trabalhadores pela sua prestação. O Presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues, os vices-presidentes, Laerte Carlos Augusto, Prof. Donizeti Barbosa e Nélson Barbosa bem como diversos diretores de base do Daerp conversaram com o superintendente Marcos Antonio dos Santos para que o problema seja solucionado. O TAC limita os servidores a realizarem apenas duas horas extras por dia, limite previsto na Constituição Federal, salvo em casos excepcionais. Este limite é considerado insuficiente pelos trabalhadores que fazem o serviço operacional, pois o DAERP têm um número limitado de servidores operacionais e uma rede de água e esgotos bastante antiga, o que leva à necessidade da realização constante de horas extras por parte desses servidores.

 Para Wagner Rodrigues, a administração pública errou quando assinou o TAC. “Temos um número reduzido de trabalhadores para a execução dos serviços de manutenção das redes de água e esgotos. Sendo assim, ao assinar o TAC, reduzindo a prestação de serviços essenciais, o governo abre espaço para a precarização de serviços públicos vitais para a boa qualidade de vida da população de Ribeirão Preto. A reunião com o superintendente e gestores do Daerp tem por objeto propor soluções para resolver esses problemas o quanto antes”, afirmou o Presidente.

 A Diretoria do SSM. também destacou durante a reunião a importância de se encontrar um caminho que seja favorável à cidade e que não traga prejuízos para os trabalhadores, não só no momento atual, mas também no futuro, quando estes trabalhadores vierem a se aposentar. “Este é um momento em que resolvendo um problema do presente abriremos uma janela para o futuro, pois não podemos pensar a crise como um beco sem saída, mas sim como uma janela de oportunidades para a construção de novas perspectivas, não só para os cidadãos de Ribeirão, mas também para todos os trabalhadores do DAERP”, conclui o vice-presidente, Prof. Donizeti Barbosa, que também esteve presente no encontro.

 Uma comissão foi constituída para que as discussões sobre as questões envolvidas no TAC sejam discutidas, as propostas evoluam e se chegue ao consenso benéfico à cidade e aos trabalhadores. O novo encontro está marcado para terça-feira (27 de janeiro), no período da manhã, no DAERP – Centro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui