Semas e UBM apoiam debate sobreTráfico de mulheres na região

0
96

 

 

O tráfico humano é a terceira modalidade criminosa mais lucrativa do mundo, ultrapassada apenas pelo tráfico de armas e de drogas. O lucro anual chega a 31,6 bilhões de dólares, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Dentre as vítimas, 85% são mulheres, sendo a imensa maioria delas para fins de exploração sexual. A faixa etária predominante está entre 17 e 25 anos. Há registro de tráfico de adolescentes e crianças, sendo a maioria do sexo feminino. Também existe o tráfico de homossexuais e travestis jovens. A maioria das pessoas traficadas é pobre e com baixa escolaridade. Na rede de aliciadores, 55% são mulheres.

Esses são apenas alguns dados que comprovam a cruel realidade do tráfico humano, indo muito além do que é exibido na telinha da TV. E o interior do estado de São Paulo apresenta outros fatores de vulnerabilidade, os quais estarão em debate no Painel aberto ao público, intitulado Mulheres e Homens pela Paz e contra o Tráfico de Mulheres e a Violência Sexual, a ser realizado na noite de terça-feira, 29 de julho, das 19h às 22h, nas dependências do auditório da Câmara Municipal de Ribeirão Preto (rua Jerônimo Gonçalves, 1200), reunindo autoridades e lideranças.

Uma oficina de educação popular feminista, fechada para 50 lideranças locais que atuam em ONGs, órgãos públicos e universidades, com o mesmo título, será realizada nos dois dias subsequentes, 30 e 31/7, no Dan Inn Hotel. Dentre os principais objetivos, estão: contribuir para o acúmulo de discussão sobre o tema dentro dos movimentos sociais e na sociedade em geral; refinar a ótica feminista; contribuir na luta pelo enfrentamento da violência contra a mulher que se materializa na violência doméstica e sexual, além do tráfico de mulheres; fortalecer a rede de serviços contra o tráfico humano, formada por atores governamentais e não governamentais; interferir na implantação e implementação de políticas públicas; aumentar a sensibilidade da mídia e da opinião pública sobre a gravidade dessas questões, como consequência das desigualdades de gênero.

As iniciativas são uma realização da Associação Mulheres pela Paz, presidida por Clara Charf, hoje com 89 anos, e dirigida por Vera Vieira. Contam com o apoio da Associação Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo (Suíça), EED (Alemanha), Fundação Ford e Instituto Avon. O patrocínio é da Petrobras. As imprescindíveis parcerias locais são: Coordenadoria Municipal da Mulher de Ribeirão Preto, Semas-RP, Secretaria Municipal de Saúde- RP, Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente – RP, Observatório de Violências nas Escolas – USP/RP, Núcleo de Pesquisa de Assédio Moral e de Violência – RP, Conselho Regional de Psicologia, OAB/SP – 12ª Subseção, CUT; Casa da Mulher, Instituto Plural de Educação e Cidadania, Unegro – União de Negros pela Igualdade, UBM – União Brasileira de Mulheres, Câmara Municipal de Ribeirão Preto, Vereadora Gláucia Berenice, Vereador Beto Cangussu, Coordenadora Executiva de Políticas para as Mulheres – Araraquara, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Araraquara, Centro de Referência da Mulher Profª Heleieth Saffiotti – Araraquara, Nuevam/UNESP – Araraquara, Vereadora Gabriela Palombo – Araraquara, Secretaria Municipal dos Direitos e Políticas para Mulheres, Pessoa com Deficiência, Raça e Etnia de S.J.Rio Preto e Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de S.J.Rio Preto.

Painel temático: Mulheres e Homens pela Paz e contra o Tráfico de Mulheres e a Violência Sexual (com a presença de autoridades e lideranças locais).

Dia e horário: dia 29 de julho, terça-feira, das 19h às 22h

Local: auditório da Câmara Municipal (rua Jerônimo Gonçalves, 1200), em Ribeirão Preto)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui