Segundo dia de greve marca a insatisfação dos servidores

0
113

O segundo dia da greve dos servidores municipais da Saúde auxiliares e técnicos de enfermagem, auxiliares de farmácia e auxiliares de saúde bucal está marcado pela insatisfação generalizada dos servidores. O movimento grevista, que já contava com uma participação maciça dos trabalhadores, ficou ainda mais fortalecido depois da entrevista coletiva do secretário da Saúde, Stenio Miranda, que classificou como inoportuna a luta das categorias.

“O governo não se posiciona, e quando o faz, é para atacar os trabalhadores. Vamos mostrar para este governo o poder dessas categorias, vamos fazer uma grande manifestação em frenta ao Palácio Rio Branco para cobrar que a lei em vigor seja cumprida à risca. A prefeitura tem de sair de trás de escudo que é a Lei de Responsabilidade Fiscal, e fazer o que foi acordado em 2012. Tudo que está acontecendo é por falta de planejamento e gestão”, fala o coordenador da Seccional da Saúde, Célio Aparecido.  

Greve dos servidores da Saúde ganha reforço de terceirizados

Serviço de Raios-X é suspenso por falta de pagamento

A greve dos servidores municipais da Saúde, que teve início nas primeiras horas do dia 3 de fevereiro, ganhou mais um reforço nesta terça-feira com a suspensão dos serviços de Raio-X no Pronto Socorro Central, na UBDS do Quintino Facci II e na UBDS do castelo Branco por falta de pagamento à empresa que presta o serviço nas unidades.

A informação foi confirmada por uma funcionária da empresa SPX Diagnóstico por Imagem que preferiu não ser identificada. A funcionária confirmou que a determinação para suspender a realização de Raio-X nas três unidades partiu dos próprios funcionários terceirizados que estão com medo de não receber seus salários neste mês de fevereiro.

“A empresa tem cumprido à risca suas obrigações com os funcionários, mas sabemos que a prefeitura não paga a empresa há quatro meses. Também temos a consciência de que a empresa não vai conseguir pagar os funcionários se ela não receber o repasse da prefeitura. Está é uma semana de pagamento e todos estão com muito medo de não receber. Nós temos uma consideração muito grande pela população, mas, infelizmente, contra nossa vontade, tivemos que tomar essa atitude, ou então ficaremos sem salário”, afirma a funcionária da empresa SPX Diagnóstico por Imagem.

O serviço de Raio-X já havia sido suspenso na semana passada pelo mesmo motivo: a falta de pagamento a empresa.

“Estamos solidários a luta dos servidores, pois esta luta já se tornou nossa. Enquanto a prefeitura não pagar a empresa não vamos fazer Raio-X. Todos os funcionários estão vivendo uma situação de medo e angústia, pois não sabemos se vamos ficar sem salários ou até mesmo se vamos ser demitidos. Nunca passei por isso na minha vida”, fala a funcionária.

“Esse é o Raio-X da Saúde em Ribeirão Preto. Esse governo está colocando a vida da população em risco. Eles não têm comprometimento com ninguém, seja servidor, seja terceirizado ou o próprio povo. A gestão da Saúde está doente e seriamente comprometida”, afirma o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui