Protesto no Palácio Rio Branco encerra segundo dia de greve na Saúde

0
167

Um grande protesto com a participação maciça dos auxiliares e técnicos de enfermagem, auxiliares de farmácia e auxiliares de saúde bucal, encerrou o segundo dia de greve, dia 4 de fevereiro, na Saúde de Ribeirão Preto. De acordo como o Sindicato e os trabalhadores o saldo do segundo dia do movimento é bastante positivo. Mais de 400 servidores da Saúde participaram do protesto que foi realizado em frente ao Palácio Rio Branco, sede do governo municipal. Com faixas e cartazes nas mãos os trabalhadores entoaram cantos de ordem cobrando a aplicação da lei municipal que garante a aplicação da jornada de trabalho de 30 horas semanais a partir de 1º de fevereiro. Um carro som foi colocado em frente à prefeitura e os servidores fizeram o uso da palavra para mostrar a indignação do tratamento recebido pelo gestor da pasta, o secretário Stenio Miranda. 

“Se o governo mantinha o discurso de que a categoria não estava aderindo ao movimento e que até alguns servidores foram forçados a aderir, fato que nunca ocorreu, a manifestação foi clara e desmentiu qualquer comunicado do governo, que só tem a finalidade de enfraquecer a luta. Mostramos nossa força de mobilização”, fala o coordenador da Seccional da Saúde, Noedivaldo Bernardino.

Passou, mas não parou!

O secretário da Saúde, Stenio Miranda, foi até o Palácio Rio Branco no momento da manifestação e tentou passar despercebido. Ao notar a presença do gestor da Secretaria, os servidores cobrando uma solução para os problemas. Stenio, por sua vez, passou calado e, sequer, deu atenção aos trabalhadores, subindo rapidamente as escadarias do Palácio.

“Esse governo tenta resolver as situações somente no campo jurídico. Fechamos o segundo dia de greve e o governo não movimentou um dedo sequer para tentar falar com os trabalhadores e resolver a situação com diálogo, quer sempre empurrar goela abaixo seus caprichos. A greve na Saúde, que a própria Justiça considerou legal e legítima, vai mostrar para este governo que servidores, unidos, representam uma grande força nesta cidade. Vamos para o terceiro dia de paralisações e com muito entusiasmo, pois acreditamos que a vitória está bem próxima”, ressalta o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

Assembleia – Durante o protesto dos servidores da Saúde o Sindicato realizou uma assembleia com os trabalhadores, que decidiram pela manutenção da greve, seguindo o mesmo formato utilizado até agora, mantendo os atendimentos de urgência e emergência, e os 30% definidos por lei, e uma nova assembleia na tarde de quinta-feira, dia 6, e uma carreata até a Câmara Municipal para pedir o apoio dos vereadores.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui