Prefeitura vai finalmente chamar aprovados em 2014 no concurso da GCM

0
134

Para Sindicato notícia é boa, mas ainda não supre a necessidade da corporação

 

A prefeitura de Ribeirão Preto anunciou na tarde da última terça-feira (29), que realizará o chamamento e contratação dos aprovados no último concurso da Guarda Civil Municipal (GCM), realizado em 2014. Para o Sindicato dos Servidores Municipais todos os 88 classificados devem ser chamados, porém, mesmo assim, o número não supriria a atual necessidade da corporação.

O comunicado foi feito no Palácio Rio Branco pelo próprio prefeito, Duarte Nogueira, e com a presença de parte dos classificados no certame – que perderia a validade em fevereiro de 2018. Os habilitados pelas provas passarão por processo de seleção e treinamento, se aprovados serão efetivados e começarão a trabalhar no segundo trimestre do próximo ano.

“O anúncio vem mais do que em boa hora, a cidade necessita urgentemente de novos guardas. A atual corporação não consegue suprir toda a demanda de um município do porte de Ribeirão Preto”, afirmou o coordenador da Seccional da GCM do Sindicato, Ricardo Palaveri. A população cresceu muito nas últimas décadas e junto vieram os problemas. É preciso contratar e investir em políticas pública voltadas para a segurança”.

edit4
Última turma a se formar na Guarda Civil Municipal de Ribeirão Preto, em 2010 (Arquivo/SSM)

Ribeirão nunca precisou tanto de guardas como precisa agora, o município já ultrapassa os 600 mil habitantes e vê o número de GCMs estacionado desde 2012, pelo menos. Além do crescimento populacional, outro fator que impacta diretamente no serviço realizado pela Guarda é o aumento no número de próprios públicos, responsabilidade direta da corporação.

Atualmente a GCM conta com 209 guardas, o número de contratações previsto pelo concurso é de 50 pessoas e representará uma adição de praticamente 25% no efetivo. O chamamento ocorre tardiamente, já que desde 2014 essas pessoas estão classificadas pela prova e aguardam o desenrolar das demais etapas do certame.

“É humanamente impossível atender a demanda de Ribeirão com o número de guardas que estão trabalhando atualmente. É preciso enxergar a segurança de nosso município com uma nova visão, com foco em resultados”, ressaltou Valdir Avelino, diretor do Sindicato e guarda civil.

edit6Sindicato realizou reuniões com a superintendência da GCM discutindo a necessidade de novos guardas na corporação (Arquivo/SSM)

Por diversas vezes o Sindicato alertou o governo sobre a necessidade iminente de realizar o chamamento dessa nova turma de guardas e até mesmo de se preparar para um novo concurso nos próximos anos. “A Guarda é composta por pessoas, pessoas que envelhecem, adoecem, optam por deixar o serviço público. São inúmeros os fatores que ajudam a diminuir o número no efetivo e, na realidade, hoje quando um único guarda falta faz uma imensa diferença”, explicou Alexandre Pastova, vice-presidente do Sindicato e guarda. “É preciso pensar não só na melhor segurança dos próprios públicos, mas principalmente do maior patrimônio de Ribeirão Preto, que é a vida das pessoas”, salientou.

Segundo informações da administração, a nomeação dos novos guardas exigirão dos cofres municipais um investimento de R$ 3,37 milhões por ano, se contados salários, fardas, armamento, treinamento e equipamento de trabalho. Processo que será acompanhado de perto e cobrado pelo Sindicato, “a população tem urgência e a cidade também”, finalizou Avelino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui