Mais uma servidora é agredida na Saúde e Sindicato exige respostas do governo

0
113

Mais uma servidora municipal foi agredida na tarde de segunda-feira, dia 24 de junho, no Ambulatório de Saúde Mental, localizado no centro de cidade.
A trabalhadora foi agredida com um tapa no rosto quando prestava atendimento a um paciente que estava em surto psicótico. “O primeiro erro foi encaminhar um paciente em surto para um local onde é feito atendimento agendado. O segundo problema está em não manter um guarda civil naquele local de trabalho. Infelizmente não é a primeira vez que um servidor do ambulatório de saúde mental é agredido e se continuar da forma que está não será a última. Queremos uma reunião urgente com o secretário da Saúde e o superintendente da GCM para discutirmos a segurança dos nossos trabalhadores. Se uma solução não for apresentada vamos tomar medidas mais drásticas”, fala o coordenador da Seccional da Saúde, Noedivaldo Bernardino.
Os trabalhadores do ambulatório mental informaram que no momento da agressão eles tiveram que colocar os outros pacientes que esperavam por atendimento para dentro da unidade e fechar as portas até a chegada da GCM.
“Os próprios familiares do paciente não conseguiram segurá-lo. Os trabalhadores estão expostos demais. O governo tem que se posicionar urgentemente sobre estas agressões. O Sindicato não vai tolerar que o servidor saia de casa para trabalhar e acabe agredido em seu local de trabalho. Temos que resolver imediatamente este problema”, afirma o coordenador da Seccional da Saúde, Célio Costa.
No ambulatório de saúde mental há quase 30 servidores trabalhando e todos estão preocupados e assustados com as repetidas agressões sofridas pelos trabalhadores do local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui