Laerte Carlos Augusto assume a presidência do Sindicato para os próximos meses

0
289

O servidor municipal da Secretaria de Infraestrutura, Laerte Carlos Augusto, assumiu na noite do dia 1º de junho a presidência do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis pelos próximos quatro meses devido a desincompatibilização do presidente Wagner Rodrigues, uma exigência da Justiça Eleitoral.

Formado em gestão pública, Laerte é servidor público há mais de 20 anos. No Sindicato foi coordenador da Seccional da Infraestrutura, e desde 2010 ocupava a vice-presidência da entidade. Filho de servidor municipal, Laerte pretende utilizar a experiência acumulada no serviço público e no Sindicato, para conduzir a categoria nos próximos meses. Confira na entrevista a seguir o perfil do presidente em exercício do Sindicato e os desafios vindouros da categoria.

Revista Atuante: Como você pretende utilizar sua experiência como servidor público e sindicalista para conduzir a categoria nos próximos meses?

Laerte – Minha experiência com o serviço público começa com a vivencia do meu pai, que era servidor público municipal. Desde muito pequeno acompanhava as lutas da época dele e sempre me interessei pelos debates e pelo que meu pai comentava. Depois me tornei servidor e aí mergulhei de vez neste universo. Sempre estive ao lados dos trabalhadores. Quando surgiu a oportunidade de vir para o Sindicato, disputei uma eleição interna na Infraestrutura e venci. Foi o começo de minha vida como sindicalista. A frente desta entidade já passei por muitas coisas. Fizemos greves, travamos embates históricos, obtivemos conquistas jurídicas memoráveis e sempre saímos mais fortes de todos os fatos que vivenciamos. Quero continuar nesta linha de luta para que possamos continuar esta trajetória vitoriosa.

Atuante: Alguns assuntos são prioridade para você neste momento?

Laerte – Sim. Já estamos convocando os servidores para as ações individuais sobre o pagamento de 10 dias de férias em dinheiro, que foi suspenso pela prefeitura e sobre a antecipação do décimo terceiro que o governo também sinalizou que não fará. Também temos focado esforços em torno do processo dos 5.15%, que é, sem dúvida, uma prioridade para a Diretoria Atuante. Sem contar as outras lutas que travamos diariamente em prol do trabalhador.

Atuante: Como você avalia a situação financeira de Ribeirão Preto?

Laerte – Sabemos que a situação não é nada favorável. Mas também temos a certeza de que a maioria dos problemas está relacionada a má gestão. Estamos falando de uma cidade que tem a previsão orçamentária para 2016 de R$ 2,8 bi, é muita coisa. E tem um detalhe, as previsões de arrecadação de Ribeirão são sempre concretizadas. Como pode um município com essa previsão orçamentária deixar de pagar fornecedores, suspender benefícios de trabalhadores e deixar uma categoria toda, como a do funcionalismo, com medo de não receber pagamento? Muita coisa deve ser revista nesta gestão ou enfrentaremos problemas sérios.

Atuante: Este é um ano político, que avaliação tem de ser feita para o funcionalismo?

Laerte – Tem de ser feita uma avaliação bastante técnica. Muito será dito neste momento. Sabemos que as coisas costumam ser paralisadas nesta época de ano eleitoral, mas também sabemos que o servidor não pode baixar a guarda neste momento. Vamos permanecer alertas e não vamos cair em falsas promessas. Ribeirão e o serviço público precisam ser tratados com mais experiência e seriedade. Por isso o servidor, que faz parte da maior empresa de Ribeirão, que é a prefeitura, tem de estar atento às suas escolhas. Teremos a oportunidade de escolher o nosso próximo patrão, e isso poucos trabalhadores têm essa opção. Será importante escolher alguém que efetivamente conhece nossa realidade.

Atuante: Como você avalia a atuação do Sindicato em Guatapará e Pradópolis?

Laerte: O Sindicato conseguiu mudar a vida dos trabalhadores públicos e de suas famílias nos dois municípios. Guatapará é um excelente exemplo. Quando chegamos com nossa atuação, os servidores estavam sem receber um aumento há vários anos. Desde que fizemos a extensão de base, em todos os anos os trabalhadores tiveram seus direitos respeitados e os reajustes foram concedidos. Em Pradópolis a situação não era tão diferente. Naquele município também já enfrentamos algumas dificuldades e sempre as superamos. Hoje os servidores são mais respeitados e valorizados, como deve ser. Agora, a frente desta entidade, vamos dar sequência a tudo que já foi feito e vamos procurar fazer sempre mais para os servidores de Guatapará e Pradópolis.

   

Atuante: Deixe uma mensagem para os servidores!

Laerte – Vamos continuar unidos, pois assim somos mais fortes, e vamos continuar seguindo em frente rumo a novas conquistas. O serviço público de Ribeirão tem muito a crescer e esse crescimento passa pela luta diária dos trabalhadores em busca de melhor remuneração e melhores condições de trabalho. O momento não é fácil, mas com luta, garra e dedicação o nosso futuro será sempre promissor. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui