Em votação acirrada, servidores decidem suspender greve

0
124

Os servidores municipais que participaram da Assembleia Geral, na sede do Sindicato dos Servidores, na tarde de hoje, 14, decidiram, em votação, pelo adiamento do movimento grevista marcado para a zero hora desta quinta-feira, dia 15. A greve havia sido deflagrada na última semana em resposta ao não pagamento do décimo terceiro salário dos trabalhadores.

A mudança de cenário ocorreu, em parte, depois que o governo se comprometeu a pagar o décimo terceiro integralmente no dia 20 de dezembro. O governo chegou, inclusive, a derrubar a liminar conquistada pelo sindicato, que o obrigava a pagar o décimo em 48 horas sob pena de multa diária de 100 mil reais. Portanto, a maioria dos trabalhadores entenderam que a greve não forçaria o governo cumprir com o pagamento de forma imediata.

Para o Presidente do sindicato, Laerte Carlos Augusto, foi respeitado o desejo da maioria dos servidores. “A entidade é democrática e vamos colocar em prática o que a maioria votou. Porém, todos que participaram da assembleia estão cientes de que se o governo não cumprir o prazo do dia 20, a greve será iniciada imediatamente”, completou.

Reunião entre Sindicato, Comissão de Greve e Governo

A proposta do pagamento garantido para daqui 6 dias (20/12), foi apresentada pelo governo em um ofício entregue ao Presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Laerte Carlos Augusto, durante uma reunião no Palácio Rio Branco, no final da manhã de hoje, 14. Também participaram do encontro a Diretoria d Sindicato, a Comissão de Greve, constituída por servidores de diversas secretarias; a Prefeita em exercício, Gláucia Berenice e os secretários de Governo e Fazenda.

O documento entregue pelo governo foi lido para todos os trabalhadores durante a assembleia, no início da noite.

Até o momento, durante todas as cobranças feitas pelo sindicato o governo ainda não tinha nenhuma expectativa de quando o pagamento iria ocorrer e alegava falta de dinheiro. Contudo, no ofício, o governo garante que o dinheiro estará na conta dos trabalhadores no dia 20. Questionado por trabalhadores e diretoria, os representantes da prefeitura alegam que houve um aumento inesperado nas receitas e, que esse aumento repentino é devido a um “remanejamento maior do que se esperava, feito pela Câmara Municipal”.

 

Governo consegue derrubar prazo das 48 horas

  A decisão da Juíza foi divulgada no final da tarde de hoje e divulgada para os servidores que participaram da assembleia. No despacho, ela frisa que, por se tratar de um futuro próximo é razoável que o pagamento ocorra no dia 20 de dezembro, mas em caso de descumprimento, a multa volta a valer com aplicação retroativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui