Daqui a uns 23 anos…

0
122

Por Wagner Rodrigues

Avanços e retrocessos deverão marcar nossas vidas nos próximos vinte e três anos. Deveremos observar uma mudança climática inevitável, um aquecimento da temperatura; os carros serão mais compactos, menos poluentes e muito mais velozes. A água poderá ser o bem mais precioso da humanidade; representantes do povo no Congresso serão eleitos pelo voto distrital; brasileiros serão doadores incondicionais de órgãos; vacina será o tratamento da síndrome da imunodeficiência adquirida; jornada de trabalho será apenas de 36 horas semanais; educação será prioridade nesse país; Brasil será octacampeão mundial; saúde será motivo de orgulho da nação.
Que bom, quanta evolução teremos. Mas, e nós, ficaremos nas mesmas situações?
Escrevo isso para lembrar que no último dia 6 de outubro o Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto completou vinte três anos de existência. Isso é uma vida, percorrida em seus mais de oito mil e trezentos dias. Dias de glórias, como as greves quentes por um aumento, de avanços históricos; como a passagem de celetistas para estatutários. Dias memoráveis, como a passeata de 2005, em que mais de quatro mil servidores percorreram as ruas de Ribeirão. Dias inimagináveis com três sessões da Câmara Municipal comandada por nós em 2008. Foram tantos dias, que muitos que lutavam de pé com a gente partiram nessa caminhada, mas a essência sempre esteve presente em nossa luta.
O maior dia ainda não chegou. Foram oito prefeitos e nenhum concretizou o nosso pedido. É bom deixar claro que não queremos muito, queremos valorização, reconhecimento, qualidade de vida e ter expectativa de crescimento. Será que teremos de viver mais uns vinte e três anos para isso se concretizar em nossas vidas?
Daqui a vinte anos, terei sessenta anos, prestes a me aposentar, lógico, se ninguém mudar a atual regra. Meus três filhos deverão ter uma formação universitária. Quem sabe terei netos. O Brasil deverá estar na posição de uma das cinco economias mais sólidas do planeta; saúde, educação e a área social serão políticas imprescindíveis à sociedade.
É, será que teremos mais uns cinco prefeitos prometendo e não atendendo o nosso desejo? Em que momento da história vamos comemorar no serviço público a eficiência, a qualidade e a valorização?
Estamos fartos, precisamos aprender a nos mobilizar para atingir esse objetivo. Temos que protestar, envolver cada homem e mulher servidores públicos, falar com a sociedade, com os usuários e buscar nossa valorização, nosso Plano de Carreira e Salários.
Acredito que hoje, 28 de outubro, Dia do Servidor, seria uma data especial para recebermos o merecido reconhecimento com o Plano de Carreira e Salários, um projeto que mudaria, para melhor, os destinos dos nossos servidores municipais pelos próximos anos.

*Presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto e Guatapará; Secretário Geral da CTB-SP – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui