Coordenadoria de Limpeza Urbana está abandonada

0
143

Em visita à Coordenadoria de Limpeza Urbana (CLU) o Sindicato dos Servidores constatou um cenário de abandono pleno aos trabalhadores. A precariedade da sede da Coordenadoria e a falta de condições de trabalho são evidentes e têm prejudicado os servidores. Diante da falta de condições de trabalho, a Diretoria Atuante esteve na CLU na manhã de terça-feira e cobrou da Secretaria da Infraestrutura e responsável pela Coordenadoria um maior investimento no local.

O local, chamado de refeitório, é na verdade um espaço coberto antigo, com madeiramento e telhas envelhecidos e desgastados com a ação do tempo. Em dias de chuva, os servidores têm dificuldade em realizar suas refeições. Em dias de sol o problema é menor, mas também incomoda. “Se chove eles ficam debaixo de chuva e se faz sol ninguém suporta o calor. Sem contar que as madeiras e as telhas estão em péssimas condições e representam um grande risco para os trabalhadores da Coordenadoria de Limpeza Urbana (CLU), pois o local parece que pode desabar a qualquer momento”, revela o coordenador da FAP, Wellington Bellinazzi.

Como o refeitório é precário e não atende a necessidade dos servidores, muitos trabalhadores fazem suas refeições em um ônibus abandonado no pátio da CLU. “Quando chove a opção dos trabalhadores é fazer suas refeições dentro do ônibus imundo e sem a mínima condição”, diz Wellington.

Banheiro?

No local, com aproximadamente 25 trabalhadores, existe apenas um pequeno banheiro. Apertado, sujo e sem condições de uso, os servidores são obrigados a utilizar o único banheiro (pelo menos para os funcionários) da Coordenadoria de Limpeza Urbana.

“É desumano! Não dá para continuar dessa forma. Tem que ser construído um vestiário decente para esses trabalhadores, é repugnante utilizar um espaço como este. Queremos uma solução imediata”, assegura Bellinazzi.

EPIs

Na visita feita pelo Sindicato dos Servidores, também foi constatada a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Os servidores, que realizam trabalhos pesados, em locais com perigosos, não possuem botinas, luvas e outros equipamentos.

Coordenadoria do quê mesmo?

O nome não condiz com a realidade encontrada dentro da própria Coordenadoria de Limpeza Urbana. O espaço onde funciona, ou deveria funcionar, a Coordenadoria está cheio de veículos abandonados. Em alguns caminhões, as carrocerias estão cheias de lixo.

“É inadmissível uma Coordenadoria de Limpeza estar na condição que a encontramos. Existem cinco caminhões, dois tratores e uma perua apodrecendo no pátio e juntando lixo. Até quando vai ser assim. O local precisa de investimentos imediatos ou vamos paralisar os serviços”, afirma o vice-presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

Na luta em prol da sociedade!

Mesmo revoltados com a situação de precariedade e sucateamento e devido os estragos causados pela tempestade que assolou Ribeirão na tarde de ontem, os servidores que estavam preparados para cruzarem os braços na manhã de terça (15) resolveram, por unanimidade, continuar os trabalhos para atender a necessidade da população de Ribeirão.

” Eu espero que a secretária da Infra e Coordenadora da CLU (coordenadoria de limpeza urbana) possa assumir as responsabilidades de adequar o espaço físico e dar condições, pelo menos humanas, de trabalho a esses servidores que lutaram pela sociedade nesse momento difícil. Ninguém mais aguenta desculpas esfarrapadas e pedido de ajuda como até fazer vaquinha para a compra de equipamentos. Ribeirão não é uma fazenda”, emendou o presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui