Centrais Sindicais aprovam moção de repúdio contra Ministério Público do Trabalho em Ribeirão Preto

0
230

Cinco Centrais Sindicais (CTB, CGTB, UGT, Nova Central e Força Sindical) e diversos representantes sindicais lotaram o plenário da Câmara Municipal de Ribeirão Preto na manhã de quarta-feira, dia 13 de julho, e aprovaram, por unanimidade, uma moção de repúdio contra o Ministério Público do Trabalho por práticas antissindicais. De acordo com os participantes, o MPT tem tomado, com frequência, medidas que prejudicam e cerceiam o direito de organização dos trabalhadores. Os sindicalistas também destacaram que a Constituição de 1988, que garante a liberdade de organização e atuação sindical, não é cumprida. “O ponto mais importante desse encontro foi a unidade do movimento Sindical. Nós estamos tendo a oportunidade de dizer ao MTP a função social dos Sindicatos e os benefícios que as entidades trazem aos trabalhadores e parar com essa perseguição, principalmente, no custeio da sustentação do movimento Sindical. Hoje o melhor instrumento de luta e manter as conquistas dos trabalhadores é o Sindicato”, fala o presidente da Força Sindical -SP, Danilo Pereira da Silva. “Nós temos que tentar, através da nossa união, coibir isso que está acontecendo de desagradável por meio de alguns representantes do Ministério Público do Trabalho contra alguns Sindicatos e, consequentemente, contra os trabalhadores e naturalmente contra a sociedade, já que todos reconhecem que o trabalho gera progresso e esse progresso vem através da organização Sindical. A justiça social depende da atuação séria do movimento Sindical e por isso essa moção que sai daqui é fundamental”, ressalta o representante da Nova Central, Francisco Lacerda. “Começa aqui em Ribeirão um movimento mais amplo dos dirigentes sindicais, pois os problemas que vêm ocorrendo através do MPT dentro das organizações sindicais são impossíveis. Desde a Constituição de 1988 nós estamos livres da ingerência do Ministério do Trabalho. Um movimento como este tem de continuar a ser debatido e levado a diante”, comenta o representante da CGTB, Rosalino de Jesus de Barros. “Estão financiando uma matança de Sindicatos na nossa região e também no Brasil. O movimento sindical tem história e nós não podemos deixar de lado essa história. Estamos saindo fortalecidos desta audiência pública”, afirma o presidente do SINSAÚDE, Nilseleno Martins da Silva. “O objetivo de todos aqui é discutir as ações que estão acontecendo. Principalmente pelo MPT que tenta engessar o movimento sindical e tirar nossa liberdade, caracterizando práticas antissindicais. Isso nós não vamos aceitar. È só o início de uma grande batalha”, relata o representante da CTB-SP, Valdir Avelino. “Essa moção de repúdio aprovada nessa audiência pública será entregue no Ministério Público do Trabalho de Ribeirão e também na Procuradoria Geral em Brasília”, diz o representante do Conselho Sindical em Ribeirão Preto, Clodoaldo Campos. “Os destaques deste encontro ficam por conta da unidade no movimento sindical em Ribeirão e a necessidade de explicitar para a população e para os representantes da Justiça que o movimento sindical atua, defende os interesses da categoria e é necessário que tenha sua liberdade sindical garantida pela Constituição”, encerra o vereador e vice presidente do Sindicato, André Luis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui