Após paralisação, servidores do Daerp e Sindicato, garantem a preservação de direitos da categoria

0
141

O Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto acompanhou desde os primeiros minutos da manhã de hoje, 26, a paralisação que contou com a adesão de 450  trabalhadores do Daerp – Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto – da rua Pernambuco. A insatisfação dos servidores começou depois que o governo distribuiu duas circulares na quarta-feira que alteravam a rotina de trabalho e, por consequência, comprometiam o serviço oferecido pela autarquia.

Em uma delas, a administração tornava obrigatório para todos os funcionários o registro do horário de entrada e saída do almoço, isso só não valeria para o superintendente, diretores, assessores e chefes de divisão. A outra circular proibia os servidores de trabalharem fora do expediente com compensação pelo “banco de horas”. Em ambas, o inicio das mudanças estava marcado para o dia 01 de fevereiro 2017.

Acontece que os funcionários que fazem serviços externos, como as equipes que trabalham no conserto de vazamentos e troca de bombas, entre outros, seriam prejudicados.

Por isso, durante mais de 6 horas os servidores do Daerp ficaram de braços cruzados e alertaram o governo dos prejuízos que essas mudanças trariam. “Imaginem as equipes que trabalham na rua, o dia de executar um serviço do outro lado da cidade, quando der 11 horas eles vão ter que largar tudo que estão fazendo, buraco aberto, esgoto ou água vazando e voltar pra base pra bater o cartão. A equipe estaria perdendo um tempo enorme e desnecessário. Durante esse período poderia estar atendendo a população”, avaliou um dos funcionários durante a manisfestação.

Daerp recua e muda circular 01

Diante dos fatos apontados pelos trabalhadores e pela diretoria do sindicato em uma reunião com o superintendente do Daerp durante a paralisação, os gestores do departamento entenderam que a circular sobre o cartão de ponto devia ser revista e, de imediato, foi feita uma alteração que contempla os servidores que fazem serviços externos.

“Houve uma conversa muito franca com o superintendente e trouxemos servidores com mais de 25 anos de experiência e provamos que o que o governo pretendia fazer iria prejudicar o atendimento à cidade. Diante desses fatos, eles reavaliaram e fizeram a mudança na circular e, os trabalhadores que ficam na rua, agora podem trabalhar até a execução total do serviço sem se preocupar em ter que voltar pra registrar o cartão ponto”, comentou Laerte Carlos Augusto, presidente da entidade.

Circular 02, férias e licença prêmio

Ainda durante a reunião, o sindicato cobrou que o governo avalie uma maneira satisfatória de compensar as horas que cada trabalhador tem em seu banco de horas e, ficou acordado que as horas extras com pagamento em dinheiro poderão ser realizadas pelo servidor quando for necessário e com autorização da chefia.

Também houve a garantia por parte do governo dos pagamentos da licença prêmio e dos 10 dias de férias em pecúnia para aqueles que fizeram a solicitação antes da proibição das mesmas.  

Fim da paralisação

Os trabalhadores receberam o presidente do sindicato e diretores da entidade na sede do DAERP da rua Pernambuco logo a pós a reunião com o governo.

“O governo entendeu que não dá para trabalhar sem dialogar com os trabalhadores. Temos que ter comunicação. Diante da força e unidade que demonstramos hoje, o superintendente se comprometeu em ouvir mais os trabalhadores a partir de agora”, disse Laerte, aos trabalhadores.

Com a preservação dos direitos garantidos, a categoria então suspendeu imediatamente as paralisações. Todos os serviços e atendimentos já se normalizaram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui