Vistoria do Sindicato alertou sobre risco de desabamento no Museu do Café

0
111

Uma vistoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto ao Museu do Café em abril do ano passado já havia constatado o risco de desabamento do teto que estava visivelmente comprometido com a quantidade de infiltrações. No último sábado, 05, parte do forro de madeira desabou em uma das salas do museu, ninguém ficou ferido. O teto que caiu, por muito pouco não atingiu um piano do século XIV exposto no museu. O museu está interditado desde o acidente e não existe previsão para o retorno das atividades. Acompanhe aqui a matéria do sindicato que denunciou os problemas do Museu.

O próprio Diretor do Museu, Daniel Basso, que também fez parte do grupo que percorreu o local, disse que um dos problemas eram as inúmeras telhas quebradas que permitiam a entrada da água da chuva. Segundo o diretor, em época de chuva o museu era fechado por que era impossível manter as visitações com tantas goteiras.

Na época da vistoria da entidade, a convite da própria Coordenadora da Cultura, Cláudia Torres, o então secretário de cultura, Alessandro Maraca, também acompanhou a inspeção do sindicato e admitiu que o prédio precisava ser reformado de imediato e, em entrevista a TV Atuante, disse que usaria uma pequena verba do fundo municipal para fazer os reparos mais urgentes e que para o restante das obras necessárias, segundo ele, seria feito uma tentativa de parcerias com a iniciativa privada, uma vez que, ainda de acordo com o ex-secretário, não havia verba federal, estadual ou municipal para arcar com a despesas das obras de revitalização do museu.

Maraca permaneceu no cargo até a manhã de hoje, 07, e deixa a pasta sem cumprir o que prometeu em relação ao museu do café. A prefeita Dárcy Vera anunciou sua saída e, a partir de agora, quem assume interinamente o cargo é o Secretário de Educação, Ângelo Invernizzi Lopes, que já começa com este grande problema nas mãos.

 Para o Diretor do Departamento de Segurança e Medicina do Trabalho, Gaspar Marcelino, é comum o sindicato fazer vistorias desse tipo, sempre prezando pela segurança dos servidores e usuários. “O departamento está sempre atento às condições de trabalho do servidor. Quando fazemos uma visita e constatamos qualquer risco às pessoas emitimos um laudo técnico com o parecer do departamento e cobramos solução o quanto antes para evitar uma tragédia”, disse Gaspar.

O presidente do sindicato, Wagner Rodrigues, lamentou o desabamento no museu do café e questionou a maneira como os centros culturais estão sendo tratados em Ribeirão. “É uma pena vermos que um centro histórico com a importância do Museu do Café está se deteriorando e pouco se faz para evitar o seu desabamento total. Nossa equipe esteve no local o ano passado, mostrou pessoalmente ao governo que era preciso reformar o museu com urgência, mas a gente percebe que não houve a mesma preocupação por parte da gestão municipal. É lamentável, felizmente nenhum visitante ou servidor se machucou nesse acidente, do contrário, seria mais uma vítima na conta do governo”, completou Wagner.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui