Sindicato quer que dinheiro da venda da folha de pagamento seja revertido para o funcionalismo

0
104

Com a notícia sobre a venda da folha de pagamento dos trabalhadores para o Banco Santander na tarde de ontem, o Sindicato dos Servidores vai cobrar que o Governo Municipal reverta os R$ 39 milhões da concessão para o funcionalismo. A entidade que representa os trabalhadores entende que o valor, que entrará nos cobres públicos através de uma questão que trata diretamente da vida dos servidores, que é o pagamento, tem de ser utilizado para resolver problemas crônicos existentes no serviço público, como por exemplo, a falta de investimento em condições de trabalho, e não para pagamentos de dívidas com fornecedores. A diretoria do Sindicato vai protocolar um ofício cobrando que o dinheiro seja utilizado com o funcionalismo.

“Esse dinheiro envolve diretamente o servidor. E, por essa razão, o Sindicato entende que esses R$ 39milhões devem ser revertidos para o funcionalismo. Temos problema na segurança dos próprios públicos que a Administração diz que não consegue resolver por não ter condições financeiras. Mudaram a data de pagamento dos trabalhadores alegando a falta de dinheiro, e existem muitos outros problemas por falta de condição de trabalho que podem ser resolvidos. Entendemos que a prefeitura tem dívidas com fornecedores e sabemos da importância do pagamento. Agora, utilizar esse dinheiro, conquistado em cima de questões ligadas aos trabalhadores para pagar dívidas, seja lá com quem for e, mais uma vez, deixar de lado os servidores, será mais um duro golpe na categoria. O servidor tem de ser prioridade”, afirma o presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

Além de problemas com segurança e alteração da data de pagamento dos trabalhadores, a Prefeitura de Ribeirão e seus funcionários enfrentam diversos problemas. Em muitos locais faltam equipamentos básicos para a realização de tarefas do dia a dia que refletem diretamente no atendimento oferecido à população. A falta de condições de trabalho é um grave problema enfrentado na cidade e combatido há anos pelo Sindicato dos Servidores.

“Há muitos anos o Sindicato combate a precarização no serviço público. Temos Secretarias que sofrem com a política de sucateamento implantada em nossa cidade. Não adianta o governo dizer que esse dinheiro que entrará nos cofres públicos não se trata de verba carimbada e que pode ser utilizado para diversos fins. Os R$ 39 milhões devem ser utilizados para melhorias que atingirão os trabalhadores e o povo ribeirão-pretano. Desde que assumiu, o governo só realizou ataques a direitos históricos dos servidores. Agora a Administração tem a oportunidade de assumir um compromisso com os trabalhadores investindo na categoria. É a chance de mostrar comprometimento com quem sempre lutou pela melhoria de nossa cidade”, finaliza Laerte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui