Sindicato quer a imediata suspensão das atividades enquadráveis em situação de risco e premiação para servidores em atividades consideradas essenciais que devem ser executadas presencialmente

0
1958

O Sindicato dos Servidores Municipais/RPGP encaminhou ofício aos poderes executivos e legislativos de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis, cobrando a imediata suspensão de todas as atividades enquadráveis em situação de risco. O Sindicato cobra ainda celeridade na implantação de outras medidas em atividades consideradas de risco muito alto, alto e mediano de exposição, conforme classificação da agência Occupational Safety and Health (OSHA), dos Estados Unidos.

“Infelizmente, vivemos uma pandemia de coronavírus. O inimigo é oculto e a situação pode se agravar se as Prefeituras e Câmaras Municipais não tomarem medidas rápidas e efetivas. É preciso ter responsabilidade e celeridade nesse momento”, afirmou Laerte Carlos Augusto, presidente do Sindicato.

A criação de um comitê tripartite de crise (Executivo, Legislativo e Sindicato) em cada um dos municípios para acompanhamento do tema e implementação de comunicação preventiva em todos locais de trabalho estão entre as reivindicações do Sindicato dos Servidores.

O Sindicato cobra o imediato estabelecimento de uma política de flexibilidade de horário, com a redução da jornada, sem redução dos vencimentos, para que os trabalhadores atendam familiares doentes ou em situação de vulnerabilidade a infecção pelo COVID-19 e para que obedeçam a quarentena e demais orientações dos serviços de saúde, contribuindo diretamente para diminuir a circulação de pessoas em horários de picos.

O Sindicato cobra ainda a imediata expedição de medidas preconizadas para a proteção de trabalhadores em serviços essenciais em áreas de alto risco e risco com o pagamento de premiação extra e imediata para estes servidores como estímulo ao trabalho realizado nas condições mais adversas.

Além disso, a entidade sindical cobra informações mais precisas e rápidas sobre ações que os municípios irão tomar para quem está nos grupos de risco, tais como gestantes, idosos, diabéticos, doentes cardíacos, entre outros; e sobre planos de contingência por parte do Sassom, em Ribeirão Preto e convênios médicos em Guatapará e Pradópolis.  O ofício cobra, ainda, que os governos municipais tenham total transparência com os servidores e o Sindicato frente aos casos identificados.

Diante dos desdobramentos da pandemia de coronavírus (Covid-19) e com o intuito de proteger os servidores municiais, o Sindicato espera que os três municípios requeridos atendam com celeridade o conjunto de reivindicações apresentado.

Veja abaixo o ofício!

Covid 19 ok

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui