Paralisações são suspensas e servidores seguem para a Câmara Municipal

0
81

A Mega Paralisação organizada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis teve início na manhã desta segunda-feira, 06 de julho, nas Secretarias de Infraestrutura; Esporte; Administração; Assistência Social; Educação; Saúde e Cultura. O protesto foi suspenso no final da tarde. A Mega Paralisação envolveu aproximadamente 5 mil trabalhadores que foram lesados com a “pedalada fiscal” que o governo tenta aplicar nos servidores municipais com a falta de pagamento. Depois de quatro horas de paralisações em diversos setores, o governo chegou a depositar parte da dívida que tem com os trabalhadores e liberou o dinheiro dos 10 dias de férias em pecúnia; 1/3 das férias, assim como os plantões e horas-extras dos profissionais da Saúde, mas não pagou o adiantamento do 13º salário como deveria ter feito no final do mês de junho.

Diante dessa tentativa incompleta da prefeitura de acertar a situação com os servidores, a categoria optou por seguir nesta terça-feira, 7 de julho, para a Câmara Municipal de Ribeirão Preto para pedir apoio dos vereadores. Os servidores pedem um posicionamento da Casa de Leis quanto à decisão do governo de pagar seus fornecedores e não honrar com o pagamento daqueles que optaram pelo adiantamento do 13º salário. Cerca de 80% dos servidores da administração direta fizeram esse pedido que foi estimulado pelo próprio governo, mas foram pegos de surpresa quando o dinheiro não apareceu no dia 30 de junho. O governo divulgou em nota que fará esse pagamento somente nos meses de novembro e dezembro.

Para os servidores da administração indireta, ou seja, as autarquias, o pagamento do adiantamento do 13º foi pago normalmente, o que o Sindicato entende como quebra de isonomia com tratamento desigual.

Para o Presidente do Sindicato, Wagner Rodrigues, a “pedalada orçamentária” que o governo tenta aplicar não pagando os trabalhadores, mesmo sendo um direito com caráter alimentício, é total irresponsabilidade e inoperância financeira. “O que este governo está fazendo em Ribeirão Preto é um descaso muito grande com os trabalhadores, que aceitaram a opção oferecida pela administração e dependiam deste dinheiro do 13º para cumprir com seus compromissos. Vamos lotar a Câmara Municipal e cobrar o apoio dos vereadores para que uma solução seja dada a este impasse. É muito grave o que o governo está fazendo com os servidores. Mais uma vez vamos mostrar a força e a união da categoria”, ressalta o presidente do Sindicato. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui