Nogueira foi à Justiça contra os servidores e pode acabar condenado no mesmo processo que iniciou

0
85

Enquanto Governo bate cabeça e respira por aparelhos,  servidores mantém-se unidos suspendendo a Greve por tempo determinado diante da eminente judicialização.

Ao suspender a audiência de conciliação por uma semana, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na prática, deu prazo de alguns dias para Nogueira ainda buscar uma solução negocial para data-base dos servidores municipais de Ribeirão Preto. Se o impasse continuar, Nogueira e seu governo terão que se entender com a Justiça, que sorteará um relator e um colegiado de desembargadores para o julgamento do dissídio.

Em uma semana, a Greve estará completamente judicializada

Na manhã desta sexta-feira, dia 03, os servidores municipais em greve decidiram em assembleia pela suspensão da paralisação por tempo determinado. Se o Governo apresentar uma proposta nestes dias de suspensão do processo do dissídio e da greve, a proposta será levada aos servidores. Não havendo proposta, a data-base de 2019 será complemente judicializada.

Com a judicialização, toda e qualquer decisão que envolva o direito de greve será da Justiça. Antes de decidir, o Poder Judiciário abrirá prazo para o Sindicato dos Servidores Municipais apresentar defesa e também ouvirá o Ministério Público do Estado de São Paulo, que acompanhou a audiência.

Aposta de alto risco

Ao invés de trabalhar em uma proposta de acordo para solucionar o impasse no intervalo do processo determinado pelo Tribunal de Justiça, Nogueira anda visitando a imprensa para jogar o terror contra os servidores.

Nogueira não fala sério, nem tem respaldo judicial, para anunciar a adoção de medidas administrativas contra os servidores à revelia do Judiciário. Nogueira terá, primeiramente, que demonstrar que não deu justa-causa a Greve. Se ficar demonstrado que a Greve dos servidores foi motivada por ilegalidades praticadas pelo Governo, Nogueira poderá até mesmo a ser obrigado a pagar os dias da paralisação.

Além de ser um ato de desrespeito, a ameaça de Nogueira  de descontar dias sem pronunciamento judicial pode representar lá na frente um ato de pouca prudência ou de pouca inteligência. Descontar os dias dos servidores em Greve antes de uma determinação judicial é uma aposta de alto risco para o Governo.

Argumentos e fundamentos não faltam aos servidores para demonstrar que a Greve se deu em razão de ilegalidades do Governo. O Governo deveria, nesta situação, apostar em outro rumo: na saída negocial da greve, com a apresentação de uma proposta e com acordo de reposição dos dias parados.

A suspensão da Greve não representa um passo atrás, muito menos o fim do movimento. A Greve foi suspensa por tempo determinado diante de uma constatação notória: a situação em poucos dias estará completamente judicializada. O relógio corre contra Nogueira e não contra os servidores. Quem teme a Justiça é o Governo e não os trabalhadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui