Governo não faz proposta e greve está marcada para próxima semana

0
244

O Governo Municipal de Ribeirão Preto encaminhou para o Sindicato dos Servidores Municipais, minutos antes do início da assembleia geral com a categoria (às 17h30), apenas uma justificativa de que o município está próximo ao limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e, portanto, que não pode oferecer reajuste salarial para os trabalhadores.  Os servidores presentes na assembleia realizada no início da noite desta sexta-feira (24) na sede da entidade, ficaram indignados com a falta de proposta e aprovaram a greve geral da categoria para à zero hora da próxima quinta-feira, dia 30.

Depois de 22 dias com a pauta de reivindicações dos trabalhadores em mãos, o Governo municipal deixou para momentos antes da assembleia para enviar um documento apenas com a justificativa de que não pode reajustar os salários dos servidores. O documento irritou os presentes que cobram um reajuste salarial de 13%.  Diante da falta de proposta, a categoria sugeriu greve geral. A sugestão foi colocada em votação e aprovada por unanimidade.

“Durante estes 22 dias em que esteve com a pauta em mãos, o Governo pouco (ou quase nada) dialogou com o Sindicato e com os servidores. Foram apenas duas reuniões, se é que podemos chamar aqueles encontros de reuniões, pois nada foi debatido. Tem mais um detalhe, a administração deixou para os momentos finais para mandar um documento informando que não vai reajustar os salários. É uma falta de respeito tamanha com a categoria que não víamos em Ribeirão há muito tempo. Essa forma de agir é ruim. Se o Governo não tem proposta, nós temos: Greve”! afirma o presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto.

053_1

Início da Greve

A greve aprovada na assembleia terá início a partir de zero hora de quinta-feira, dia 30. Respeitando os prazos legais, o Sindicato dos Servidores comunicará a prefeitura oficialmente a decisão da categoria pela greve na manhã de segunda-feira, dia 27. Depois da comunicação, o prazo de 72 horas será respeitado e caso uma nova proposta não seja feita, a greve tem início já na quinta-feira.

“Como sempre, vamos respeitar os prazos legais e a partir da zero hora do dia 30 todos os serviços serão paralisados. É claro que a porcentagem que exige a Lei para manter os atendimentos de urgência e emergência será respeitada também. Foram muitos os ataques desde o início desta gestão e os servidores estão irritados com isso. Para piorar o Governo não faz uma proposta para categoria, deixando claro que o projeto dessa administração é acabar com o servidor e o serviço público de qualidade. Como sugere o slogan da nossa campanha: Vai ter Luta”, finaliza o presidente.

Uma reunião com a comissão de negociação dos trabalhadores para definir os detalhes da greve já está marcada para às 15 horas de segunda-feira (27).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui