Denúncia: Sindicato encontra diversos problemas na USF do Jardim Paiva

0
181

O Sindicato dos Servidores Municipais encontrou na manhã desta terça-feira, dia 24 de novembro, diversos problemas estruturais e de pura falta de gestão na Unidade de Saúde da Família Dr. Álvaro de Oliveira Paiva, no Jardim Paiva. Na sala de odontologia, um balde foi colocado pelos servidores ao lado da cadeira de dentista para colher a água que infiltra no teto da Unidade. Segundo os trabalhadores, algumas consultas tiveram de ser desmarcadas por causa do problema, já que também pinga água na cadeira onde o paciente é atendido. Os problemas de infiltração estão em diversas salas da USF. Quando a entidade que representa os trabalhadores esteve na Unidade, a farmácia estava fechada e as prateleiras que armazenam os medicamentos estavam cobertas por um plástico.

“É um descaso muito grande. O governo não pode dizer que o problema foi a chuva forte que caiu na tarde de segunda-feira (23) porque estamos aqui neste momento (manhã de terça) e chove fraco na cidade, mas mesmo assim está infiltrando água na sala. Os trabalhadores disseram que é um problema recorrente na unidade, sempre que chove em Ribeirão molha o interior da farmácia. Ainda bem que os servidores agiram rápido e cobriram os medicamentos, pois se não fosse isso, teríamos um grande prejuízo financeiro e para a população que ficaria sem medicamentos”, argumenta a coordenadora da Seccional da Saúde, Débora Alessandra.

“Eu estive nesta Unidade um tempo atrás e a situação já era precária. Retornando, percebo que a situação piorou. Como um dentista vai atender com goteiras, com uma cadeira num estado como o que a gente encontrou? Isso é pura falta de gestão. Temos que resistir à falta de gestão”, afirma o vice-presidente do Sindicato, Donizeti Aparecido Barbosa. 

Uma sala que foi construída recentemente na USF para abrigar a nova farmácia também apresenta sinais de infiltração de água. As paredes do local estão com mofo e a pintura foi danificada. “A pintura da nova sala parece até textura, mas na verdade muita água infiltrou na parede e danificou toda a parte da pintura, sem dizer do mofo que encontramos no teto. É uma vergonha!”, ressalta Donizeti.

 

O Sindicato também encontrou infiltração de água na recepção da unidade. Um balde foi colocado para coletar a água que caía próxima aos prontuários dos pacientes.

Problema antigo com ar-condicionado

 O Sindicato dos Servidores esteve na USF Dr. Álvaro de Oliveira Paiva no mês de setembro deste ano e detectou problema com dois aparelhos de ar-condicionado da Unidade. Na sala de vacinação o aparelho está quebrado há pelo menos seis meses. Já na sala onde trabalham os Agentes Comunitários de Saúde o ar-condicionado foi colocado na parede há mais de um ano, mas a instalação elétrica não foi feita e o aparelho permanece desligado.

Sala de vacinação está sem ar-condicionado há seis meses

Ar-condicionado da sala dos Agentes Comunitários de Saúde foi instalado, mas a parte elétrica não foi feita e o aparelho continua desligado há mais de um ano

“Apesar das vacinas ficarem em freezers, em dia de sol a sala é muito quente e com o abre e fecha a temperatura das vacinas pode alterar e prejudicar a eficácia das mesmas. Já na sala das Agentes Comunitárias de Saúde é uma situação vergonhosa para o governo. O aparelho foi instalado há mais de um ano e eles não tiveram a capacidade de fazer a parte elétrica para ligar o ar-condicionado. Isso mostra que tipo de gestão estão fazendo na Saúde de Ribeirão. A situação está tão difícil que tiveram que abrir a lateral do computador para que a máquina ventile melhor e o computador não pare de funcionar por aquecimento”, diz Débora.

Quando superaquece, o computador desliga e prejudica o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui